Ultimate magazine theme for WordPress.

Trança Box Braids invadiu o Brasil – Materiais e Inspirações

A trança Box Braids estão super em alta, é o lacre do momento, toda hora que eu saio de casa eu encontro com alguém usando elas e fico apaixonada.

O crescimento no número de mulheres, homens, sem gênero, etc, que estão aderindo o novo visual pode se dá ao fato de que no tempo em que vivemos as pessoas negras estão empoderando seus cabelos, a maioria dos que procuram as tranças estão ou já passaram pela transição capilar.

Cantora Iza de tranças.
Cantora Iza de tranças (foto: divulgação da cantora).

Transição capilar

A transição capilar acontece quando a pessoa quer deixar a forma do cabelo atual para trás e aderir uma nova forma.

Muitos pensa que a transição só ocorre quando você tem o cabelo natural crespo ou cacheado, passa por processo químico para alisamento e depois quer voltar a forma natural, eliminando a química do cabelo, mas não, transição capilar é qualquer alteração mais radical que a pessoa possa realizar no cabelo, como por exemplo, deixar de ter o cabelo cacheado e alisar, ou cortar um cabelo longo bem curtinho.

Transição Capilar.
Transição Capilar (foto: divulgação/ Fique Diva).

Empoderamento

Não há como falar de tranças Box Braids sem falar sobre o empoderamento, principalmente o feminino.

Durante muito tempo a mulher negra seguiu um padrão da sociedade alimentado pela mídia, estereotipando que mulher bonita seria aquela que possuísse cabelo liso, pele branca, olhos claros, magras e perfeitas.

De um tempo pra cá e com o crescimento do movimento feminista, as mulheres, não apenas as negras,  como todas que se sentiam de certa forma incomodadas, começaram a ter  voz para dizerem o quanto esse padrão as forçaram ser o que não eram.

Esse empoderamento feminino já reflete na sociedade, no mundo da moda e no mercado, e embora algumas empresas ainda insistam em não fabricar produtos para todos os tipos de copos, peles, unhas e cabelos, outras vem se destacando por aderirem a desconstrução da escravidão da beleza. Estou deixando uma dica de livro aqui em baixo pra vocês.

Quem tem Medo do Feminismo Negro, livro de Djamila Ribeiro.
Quem tem Medo do Feminismo Negro, livro de Djamila Ribeiro. (foto: divulgação).

O processo de transição da mulher presa na beleza obrigatória para a nova mulher livre e feliz com suas características pode ter influenciado no número de empoderamentos capilares que aconteceu no nosso país nos últimos 3 anos, e isso é muito positivo, porque como eu já havia dito, a indústria está voltando os olhos para esse público, que antes era esquecido.

A mulher negra não encontrava maquiagem para seu tom de pele, e hoje já é possível ela se maquiar, ainda que hajam poucas marcas que fabricam produtos para peles negras. Não deveria ser nunca assim, mas já demos alguns passos.  Produtos capilares então, deram um verdadeiro “bum” nas vendas.

Em agosto de 2017, o Google revelou que a procura pelas palavras chaves   “cabelos cacheados” cresceu 232%, que se somatizados a busca por cabelos afro que também cresceu expressivamente, chegam a  309%,  ultrapassando as buscas por cabelo liso.

Estou escrevendo tudo isso porque é preciso expor o que está acontecendo para que nossas “manas” sejam cada dia mais livres, afinal,  assumir os cabelos naturais é revelar uma identidade em um país onde 1 em cada 3 mulheres sofrem preconceito diariamente por conta dos cachos.  Então, vamos soltar os “blacks” e mostrar todo o poder que eles possuem!

Farouk James, de 4 anos.
Farouk James, de 4 anos (foto: divulgação/ Portal Ge Ledes).

Tranças

Como todos já devem saber, as tranças nasceram praticamente junto com a civilização africana, em torno de  3.500 anos antes de Cristo. O primeiro modelo de trança que surgiu foi a Nagô, e como e porque nossos irmãozinhos e hermanitas africanas começaram a desenvolver as tranças nós não sabemos, mas sabemos que elas tem alguma ligação com a matemática, algumas possuem formas geométricas e são milimetricamente perfeitas.

A trança ultrapassou gerações de africanos até chegarem a Grécia e depois Europa na Era Medieval, ali ela foi aderida por praticamente todas as mulheres.

Taís Araújo de trança Box.
Taís Araújo de trança Box (foto: divulgação/ Glamour Brasil).

Elas foram trazidas ao Brasil através dos escravos, em um triste período para se lembrar, que foi a época da escravidão.

Hoje as tranças passeiam por todos os lados na cabeça das brasileiras, fazendo parte do cenário urbano do país. Nas maiores metrópoles elas são observadas como forma de manifesto e empoderamento. Tornou-se um ícone da moda, anda pelas passarelas, e compõe visuais cada vez mais free e open vibes.

Anitta de trança Box em Vai Malandra.
Anitta de trança Box em Vai Malandra (foto: Divulgação).

Box Braids

A Box Braids é a queridinha do momento, ela pode ser desenvolvida com diversos materiais, entenda a peculiaridade de cada um.

* Linha de crochê

 

Trança Box com linha de croche.
Trança Box com linha de crochê (foto: divulgação Youtuber Raquel Martins).

É uma linha bem fina, são usados em torno 5 novelos de linha de crochê para fazer as tranças, ela entrega um efeito bem natural.

Um benefício a se pensar é o preço, a linha de chochê varia entre R$3 e R$15, e isso é um ponto positivo, pois é usada uma quantidade boa para realizar as tranças.

* Jumbo

Trança Box Braid com jumbo Colorida.
Trança Box Braid com jumbo Colorida (foto: divulgação/ Blog Fique Diva).

É um cabelo de fibra sintética que possui uma textura mais grossa  e com menos brilho.

Ele possui uma variedade de cores, além das paletas ombre, que entrega 2, 3 e até 5 cores, formando um degradê todo especial. Ele entrega pontas mais finas, o que também é um fator positivo.

O preço dele não é muito favorável, pois para concluir as tranças são necessários cerca de 8 pacotes e cada pacote custa entre R$25 e R$30, então fazendo as contas e acrescentando o valor da mão de obra, o penteado pode sair um pouco salgado.

* Kanekalon

Trança com Kanecalon.
Trança com Kanecalon (foto: divulgação/ Portal Beleza Extraordinária).

Ele é bem brilhoso, seu brilho chega a ser exagerado e acaba tirando o aspecto natural na finalização das tranças, Box Braids. Ele também embola mais do que os outros devido a goma.

As vantagens do Kanekalon são basicamente o preço e o tamanho. Ele tem um comprimento maior que o Jumbo e é vendido em quilo, saindo por cerca de R$30,00 o quilo.

* Lã

 

Trança Box de lã.
Trança Box de lã (foto: divulgação/ Pinterest).

A lã é querida por causa do valor que é bem acessível, custando em entre R$5 e R$15, dependendo do tamanho no novelo.

Pelo fato da lã ser tecido, ela deixa o cabelo mais pesado, principalmente quando é lavada. Para secar dá um pouco de trabalhinho, mas com paciência, tudo dá certo.

É importante ressaltar que a trança Box Braids dura cerca de 3 meses no cabelo, dependendo da pessoa. Então na hora de escolher o material, o custo benefício deve ser avaliado com cautela para que não haja arrependimento depois.

Alicia Keys de trança em Show do Rock in RIo.
Alicia Keys de trança em Show do Rock in RIo (foto: divulgação/ Folha Uol).

Bom é isso queridas e queridos, espero ter elucidado um pouco mais essa questão de trança. Até a próxima!

Leia também: A clássica Melissa Possession – Um modelo que ultrapassa gerações. 

Comentários do Facebook