LiteraturaUniverso dos Livros

A estrela mais brilhante do céu

Existe alguma relação entre a estrela de Sirius e o nosso planeta?

Sirius (ou Sírio) é a estrela mais brilhante do céu noturno. Ela brilha com magnitude -1,46, magnitude superada apenas por alguns planetas, a lua e o sol. É uma estrela branca, 25 vezes mais brilhante que o sol. Pertence à constelação do Mayor do Canis Major (Cão Maior) e pode ser vista a partir de qualquer ponto da Terra.

O termo Sirius deriva do latim sīrius e do grego σείριος (seirios, “brilhante”).

“Filhos da Estrela Azul – Exilados de Sirius”, obra espiritualista do escritor Francisco Martins relata experiências espirituais em relação à Sirius. Francisco foi um autor espiritualista, como ele mesmo dizia), por isso vamos entender qual a visão espírita em relação a Estrela de Sirius.

O espiritismo entende a existência de uma civilização muito desenvolvida, moral e intelectualmente, que habita o quarto planeta em órbita de Capella (estrela mais brilhante da constelação de Aurigae e sexta estrela mais brilhante do céu). Entretanto, um grupo de capelinos não teria correspondido à evolução moral dessa civilização e foram “banidos” para o planeta Terra em busca de regeneração.

Francisco parte desta mesma premissa para compor sua obra, ou seja, um grupo de espíritos rebeldes que tiveram que deixar Sirius e partirem rumo à Terra para que pudessem recomeçar sua jornada em busca de aprendizado, regeneração e evolução. Mas o que é a Estrela de Sirius?

A Estrela de Sírio (ou Sirius) é a estrela mais brilhante no céu noturno, estando localizada na constelação de Canis Major e podendo ser vista a partir de qualquer ponto na Terra. É uma das estrelas mais próximas do nosso planeta e emite 23 vezes mais luz que o Sol.

Há uma curiosa e também misteriosa conexão entre a estrela de Sirius e as diversas civilizações que já passaram pelo nosso planeta até os dias atuais.

Segundo o espiritismo, os espíritos vindos de Sirius teriam passado por Atlântida, o continente perdido. Aliás, Francisco também faz esse relato no seu livro, onde dá a sua explicação (de acordo com a visão espírita e com suas experiências) do que levou ao desaparecimento deste continente.

A Estrela de Sirius pelo seu esplendor também conquistou a atenção e os olhares dos egípcios, gregos, entre outras civilizações, tendo a sua importância e influência na mitologia, astronomia e ocultismo. O sistema de calendário egípcio, por exemplo, era baseado no nascer helíaco de Sirius.

Seja qual for a verdadeira história de Sirius e independente de qual seja a relação desta estrela com o nosso planeta, vale a pena pesquisar mais um pouco, ler, reler, ver vídeos, enfim, estudar. Independente de qual seja a nossa crença, nossas atenções devem estar voltadas a todos os ângulos de um mesmo tempo e livres de preconceitos.

Como sugestão de aprofundamento, no YouTube há o documentário intitulado “Sirius”. E, para se aprofundar um pouco mais no assunto recomendo os livros “O Brilho das Estrelas” e “Filhos da Estrela Azul – Exilados de Sirius”, ambos do autor brasileiro Francisco Martins, e também o livro “O Mistério de Sirius”, de Robert Temple.

Francisco Martins faleceu em 2017, mas seus livros ainda podem ser encontro em livrarias espíritas e em livrarias virtuais como a Saraiva.

Permita-se!

Leia também: O Regresso

Deixe seu comentário

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: