Conheça a história por trás da bandeira do arco-íris, símbolo da comunidade LGBT

Neste domingo (28), comemora-se o Dia Internacional do Orgulho LGBT (Gays, Lésbicas, Bissexuais, Transexuais) ou apenas Dia do Orgulho Gay, que tem como objetivo celebrar o amor e a igualdade entre todos os gêneros, bem como relembrar a necessidade e a importância do combate à homofobia, promovendo assim uma sociedade livre de preconceitos, independente do gênero sexual. A data surgiu a partir da Rebelião de Stonewall, uma série de manifestações ocorridas nos Estados Unidos no final da década de 1960.

A luta contra o preconceito se concentra não apenas em questões raciais, mas também em gênero. A partir de meados do século XX, grupos de homossexuais começaram a se organizar para garantir a igualdade de seus direitos civis e sociais. Nos Estados Unidos, a revolta de Stonewall (28 de junho de 1969) foi um dos episódios mais importantes do movimento LGBT.

Nesse caso, a abusiva invasão policial ao bar Stonewall Inn provocou uma revolta intensa e violenta entre os frequentadores em Nova York, a maioria dos quais eram homossexuais. Deve-se lembrar que entre as décadas de 1950 e 1960, os homossexuais americanos enfrentaram uma legislação e um sistema legal completamente anti-homossexuais.

Uma onda de protestos pelos direitos LGBT se espalhou por todo o país. Deste episódio surgiram as primeiras Paradas do Orgulho Gay, eventos criados para conscientizar o público da ideia de direitos iguais para pessoas com diferentes orientações sexuais.

Como surgiu e por que a bandeira arco-íris se tornou símbolo do orgulho LGBT?

A bandeira do arco-íris é o símbolo do movimento de libertação homossexual. Foi criada pelo artista americano e ativista dos direitos LGBT Gilbert Baker (1951-2017), originalmente com oito cores, em 1978. Ele associou cada cor a um aspecto diferente da humanidade:

  • Rosa: sexualidade;
  • Vermelho: vida;
  • Laranja: saúde, cura;
  • Amarelo: luz do sol;
  • Verde: natureza;
  • Turquesa (Azul, atualmente): mágica,arte;
  • Anil: harmonia,serenidade;
  • Violeta: espírito humano.

Mais tarde, a bandeira foi reduzida para seis cores, perdendo o rosa e o anil. O azul acabou substituindo o turquesa.

No início, era caracterizada por 8 listras, depois os tons foram reduzidos para 6 devido a dificuldades em encontrar todas as cores esperadas, rosa e turquesa foram eliminados. Com a bandeira, Baker queria transmitir a ideia de diversidade e inclusão, usando “algo da natureza para representar que nossa sexualidade é um direito humano”.

Hoje a bandeira do orgulho gay é um símbolo reconhecido mundialmente. É uma demonstração de tolerância e respeito em relação a um grupo historicamente marginalizado por certos setores da sociedade.

Deixe seu comentário