CruzeiroFutebolJustiça

Cruzeiro na berlinda – parte I: irregularidades colocam em cheque o futuro do clube

Em reportagem veiculada pelo Fantástico, várias irregularidades foram expostas

Já não bastasse a má fase em campo, o Cruzeiro sofreu mais um golpe, dessa vez vindo dos bastidores. Em reportagem veiculada na noite de domingo (27), o Fantástico revelou uma série de irregularidades na administração do clube. Para assistir a matéria na íntegra, basta clicar aqui.

As denúncias vão de cessão irregular de direitos econômicos de jogadores (um deles com menos de 16 anos) à empresários até pagamento à empresas aparentemente laranjas. Remuneração de torcidas organizadas e aumentos de salário de funcionários em período curto também entraram na pauta.

Que o Cruzeiro vive caos financeiro, afundado em dívidas que vem principalmente da gestão anterior, não é novidade para ninguém. Cobranças na FIFA e derrotas judiciais também não. Mas o teor da reportagem do Fantástico foi estarrecedor pra grande parte das torcidas no Brasil.

A reportagem começa com a divulgação de uma investigação conduzida pela Polícia Civil de Minas Gerais sobre falsificação de documento particular, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro. Tudo isso estaria partindo da atual diretoria do clube, que em um ano de mandato, aumentou de forma considerável a já grande dívida celeste.

A ação policial se deve a possíveis irregularidades no balancete contábil analítico. Tal documento demonstra pagamentos feitos pelo Cruzeiro no decorrer de 2018. Sendo assim é, portanto, a principal prova das atividades financeiras do clube. E na papelada contém indícios de descumprimento de regras da Fifa, CBF e governo federal. A situação teria se dado principalmente por meio do Profut, programa de renegociação de dívidas fiscais com clubes.

Cessão de direitos

No meio dos documentos, algo chamou atenção da reportagem e dos investigadores. Constava nos autos uma lista de cessão de direitos desportivos de jovens atletas a um empresário, Cristiano Richard dos Santos Machado. O motivo do repasse das porcentagens, seria o quitamento de uma dívida de R$ 2 milhões.

Até aí, tudo bem. Mas então começam as estranhezas. Primeiramente, Cristiano não têm atuação no futebol. O empresário é sócio de firmas de locação de veículos e equipamentos para proteção individual. Mas após o empréstimo de R$ 2 milhões aos cofres celestes, em março de 2018, o homem passou a ter direito em fatias de diversas promessas do clube. Outra prática ilegal, no âmbito desportivo, e que pode resultar em punição que proibiria o clube de contratar jogadores.

Um mês depois o clube foi mais uma vez renegociar com Cristiano Machado. Dessa vez alegando que não poderia quitar financeiramente a dívida (de um valor relativamente baixo no mundo do futebol e que tinha sido acordada de ser quitada em duas parcelas). Como pagamento a diretoria do Cruzeiro cedeu porcentagem de dez de suas maiores promessas.

 

Os nomes

  • David Correa da Fonseca (David) – 20%
  • Alejandro Santana Viniegra (17 anos) – 20%
  • Marco Antonio de Oliveira Coelho – 20%
  • Carlos de Menezes Júnior (Cacá) – 20%
  • Julio Cesar Pereira – 20%
  • Victor Alexandre da Silva (Vitinho) – 20%
  • Gabriel Nascimento Resende Brazão – 20%
  • Estevão William A. de Oliveira Gonçalves (11 anos na época) – 20%
  • Raniel Santana de Vasconcelos – 5%
  • Murilo Cerqueira Paim – 7%

Na lista chamam a atenção nomes como os de Raniel, Murilo e David. Todos promessas do clube e já atuantes no time principal. Outro nome curioso é o de Estevão, que mesmo tendo, atualmente, apenas 12 anos de idade, já é uma das principais esperanças do clube. O pré-adolescente é o jogador mais novo da história do futebol brasileiro a firmar um contrato com a empresa Nike.

Valores

Além da prática de cessão de direitos à empresários ter se tornado irregular em 2015, outro fator chama a atenção. O valor da porcentagem dos jogadores cedidos excede e muito os valores da dívida que o Cruzeiro tinha com Cristiano. Para se ter ideia, segundo o site alemão Transfermarkt, o valor de mercado (valor atual sem contar a valorização dada em transferências) do ponta David é de 1,5 milhões de euros.

Esse valor convertido para reais dá R$ 6,75 milhões de reais. Ou seja, os 20% do jogador cedidos pelo clube celeste, vale em seu cenário mais baixo, R$ 1,35 milhões de reais. 65% do valor da dívida. E como foi dito acima, dificilmente o time mineiro aceitaria uma proposta menor que os R$ 10 milhões pagos nele.

Dívida paga

Se 20% de David, sozinho já quase paga a dívida. E os outros nove nomes da lista? 7% do Murilo valem R$ 315 mil. 5% do Raniel valem R$ 337 mil. Pronto, com três jogadores a dívida já está paga. Mas a coisa fica ainda mais absurda quando se considera que após apenas dois meses da assinatura do contrato de cessão, o lateral/ponta Vitinho foi vendido para a Bélgica por R$ 10 milhões. Considerando isso, o empresário teria levado na negociação, os 2 milhões de reais devidos de uma só vez.

Como se não bastasse, em janeiro deste ano, o goleiro Gabriel Brazão foi vendido ao Parma da Itália por R$ 13,75 milhões. Sendo assim, Cristiano Machado teria levado mais R$ 2,75 milhões. Ou seja, apenas com duas vendas, ele teria recebido mais que o dobro do que tinha emprestado. Isso sem contar os outros oito da lista que ainda podem ser negociados.

Tais práticas de cessão de direitos são ilegais e o Cruzeiro poderia receber desde multas à uma proibição de contratar. Esse tipo de situação é comum na Europa. Barcelona e Chelsea são times que já forma punidos desta maneira no velho continente.

Cruzeiro na berlinda: irregularidades colocam em cheque o futuro do clube
20% do valor recebido por Gabriel Brazão já quitaria a dívida com Cristiano machado – Crédito da foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Cruzeiro e madeireira “fantasma”

Outro nome que consta nos autos é o da AV & S Consultoria Desportiva Ltda. Segundo o balancete contábil do time, ela é outra empresa que recebeu dinheiro do clube. Os valores foram de R$ 369 mil no decorrer de 2018. O que causou estranhamento aos investigadores foram as atividades da empresa. A AV & S possui como primeira atividade econômica o “agenciamento de profissionais para atividades esportivas, culturais e artísticas”. A sua segunda atividade é a “extração de madeira em florestas plantadas”. E a terceira é o “comércio varejista de madeira e artefatos”.

Ao se dirigir ao endereço que consta no CNPJ da empresa, a reportagem do Fantástico se deparou com uma madeireira aparentemente desativada com o nome AV & S Madeiras no muro e uma placa de “vende-se”. A “sede” da firma fica no município de Itamarandiba, a 400 quilômetros de Belo Horizonte.

Torcidas Organizadas

Consta no balancete. também, pagamentos realizados pelo clube à torcidas organizadas. Tal prática, comum em muitos clubes, não chega a ser ilegal. Mas como representantes oficiais dos torcedores e reguladores do clube, tal prática parece antiética. Afinal, como cobrar e criticar de quem se recebe?

Segundo as torcidas envolvidas, Máfia Azul e China Azul, os valores recebidos são pagamentos provenientes de publicidade que as organizadas fazem para o clube em seus canais de comunicação.

Salários de dirigentes

Principais nomes da diretoria do Cruzeiro, o presidente Wagner Pires de Sá, o vice Itair Machado e o diretor-geral, Sérgio Nonato (Serginho) recebem salários e bonificações altíssimos. Somente em 2018, Itair recebeu R$ 3,3 milhões do clube. Além disso, alguns aumentos de salário e bonificações do vice-presidente foram assinados por ele mesmo. A média de R$ 275 mil reais mensais é considerada alta, se for comparada a média dos demais dirigentes da Série A do Brasileirão, que é de R$ 115 mil por mês.

Já Sérgio Nonato, em menos de um ano saiu de um salário de R$ 60 mil mensais para R$ 125 mil. Antigo membro de um programa esportivo local, a capacitação do diretor para o cargo é muitas vezes é questionado por imprensa e torcida cruzeirense. Além dos altos salários, Serginho também recebeu diversas bonificações, além de ter parte em contratos de patrocínio que tem atuação direta na negociação.

Cruzeiro na berlinda: irregularidades colocam em cheque o futuro do clube
Sérgio Nonato foi de Diretor de Comunicação à Diretor Geral do Cruzeiro em poucos meses de trabalho – Crédito da foto: Edesio Ferreira/ EM/ D.A. Press

Nota oficial

O presidente do Cruzeiro soltou na tarde de ontem (26), antes mesmo da reportagem ser veiculada, uma nota oficial sobre o caso. Leia a nota na íntegra abaixo:

“Nação Azul,

Me dirijo a vocês para me manifestar em nome do Cruzeiro Esporte Clube, de forma antecipada e imediata, a respeito de uma matéria realizada pelo Grupo Globo, que será exibida na noite deste domingo, 26 de maio de 2019, no programa Fantástico, conforme chamada realizada pela emissora durante a exibição da partida Flamengo x Athletico.

Primeiramente, lamento que a última eleição presidencial ainda não tenha acabado para alguns indivíduos. Adversários derrotados no pleito têm insistido, nos bastidores, em tentar tumultuar o ambiente do Cruzeiro, com o auxílio de um pequeno grupo, plantando notícias junto a alguns profissionais da mídia nacional, que infelizmente têm acreditado em tais conteúdos.

Nossa gestão assumiu o Clube de forma oficial no início do ano de 2018 com a maior e mais absurda e delicada dívida de sua história. No entanto, a nossa diretoria não tem medido esforços e já vem exercendo uma política de contenção de gastos, e tem trabalhado em um grande projeto de planejamento para tentar equacionar as dívidas do Cruzeiro.

Todas as perguntas enviadas pela reportagem do Grupo Globo, nesta semana, foram prontamente respondidas aos jornalistas, dentro do prazo pedido pelos mesmos, atendendo ao deadline da matéria.

Atualmente, o Cruzeiro possui 14 conselheiros que formam uma oposição. Nós apuramos que um deles teve acesso a documentos sigilosos e os divulgou de maneira proibida para o público externo, mesmo em se tratando de registros de cunho interno, de uma entidade privada.

O intuito deste comunicado não é, em momento algum, o de atrapalhar a veiculação da reportagem prometida pela emissora para a noite deste domingo. Mas, sim, o de tranquilizar a Nação Azul, aos verdadeiros cruzeirenses, reforçando nosso compromisso de tratar as coisas do Clube com a maior transparência e responsabilidade possível, dentro e fora das quatro linhas, pois, reforço, assumimos a instituição sabendo da constrangedora situação financeira do Clube.

Reitero minha lamentação em relação ao comportamento ressentido destes alguns indivíduos que se dizem cruzeirenses, mas que, na verdade, pensam apenas em seus benefícios próprios, colocando os aspectos político e pessoal acima de qualquer sentimento em relação ao Clube.

A atual diretoria quer apenas fazer o nosso trabalho em paz e recolocar o Cruzeiro nos trilhos, consertando diversos erros, alguns que ultrapassam os limites da absurdez, cometidos pela gestão passada.

Em nome da transparência e da lisura que o Cruzeiro merece ser tratado e nossa torcida merece ser informada, decidimos nos manifestar de forma imediata.

Atenciosamente,

Wagner Pires de Sá
Presidente do Cruzeiro Esporte Clube”

Deixe seu comentário

Etiquetas
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar