Mais Minas
Portal de notícias de Minas Gerais

Deputados defendem regularização de garimpos em Diamantina

Em abril deste ano, uma operação da Polícia Federal (PF) desarticulou garimpos de ouro e diamante às margens do Rio Jequitinhonha, entre as cidades de Diamantina e Couto de Magalhães, ambas na Região Central. A operação, de combate à exploração ilegal dessas pedras preciosas, resultou na prisão de garimpeiros, na destruição de equipamentos e na suspensão das atividades no local.

Para discutir uma solução para o impasse, que envolve a legislação ambiental e o sustento de milhares de famílias em uma tradicional região de mineração no Estado, a Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) se reuniu nesta segunda-feira (21\10\19), em audiência pública, no Mercado Velho de Diamantina.

De acordo com a PF, os garimpos movimentavam milhões de reais em uma atividade não autorizada e responsável pela degradação do rio. Os garimpeiros cobram, no entanto, o apoio do governo e do Poder Legislativo para que a exploração não seja simplesmente suspensa, e sim regularizada, ao destacarem a sua importância para a geração de emprego, renda e desenvolvimento.

Em defesa da retomada dos garimpos, Juscelino Roque, prefeito de Diamantina, afirmou que é plenamente possível conciliar a atividade, que faz parte da história do município, com a sustentabilidade ambiental. Para tanto, ele salientou a necessidade de união entre os garimpeiros, associações e cooperativas, na busca por um interesse comum.

Os vereadores Edivan Soares, presidente da Câmara Municipal, Djalma Coelho e Marcos Fonseca, também indignados com a interrupção dos garimpos, ressaltaram os impactos econômicos e sociais da medida para a região, como o desemprego e a estagnação do comércio. “Estamos sentindo na pele o clamor da população pelo garimpo, que coloca comida na mesa de mais de 2 mil famílias”, salientou Edivan. “A interrupção causou um prejuízo total, foi uma covardia”, acrescentou Djalma.

* Com informações da Assessoria de Comunicação da Assembleia Legislativa de Minas Gerais

Comentários do Facebook
Participe gratuitamente do nosso grupo de notícias no Telegram -> ENTRAR.
você pode gostar também