Feijão nosso de cada dia

Juntamente com o arroz, o feijão corresponde a um importante prato típico brasileiro. O feijão é uma leguminosa rica em proteínas, vitaminas, minerais e fibras. 

As leguminosas possuem fitatos, que são considerados antinutrientes, pois reduzem a absorção de nutrientes, como ferro, cálcio, magnésio e zinco. Esses antinutrientes  pioram a digestibilidade do alimento (aumentando sintomas como empachamento e gases) e dificultam o cozimento; por isso recomenda-se que antes do processo de cocção seja feito o molho e remolho, a fim de eliminar parte dessas substâncias.  

Alguns estudos sugerem que o fitato possui propriedades benéficas como ação antioxidante e anticarcinogênica, além de contribuir no tratamento de diabetes e evitar a formação de cálculos renais; por isso o ideal é que sua retirada não seja feita por completo. 

+ O antigo dilema do preparo do arroz

O processo de molho/remolho demanda um tempo entre 6 e 12 horas e é fundamental para evitar a ocorrência de gases e indigestão após as refeições em que há consumo de feijão. Para isso, os grãos da leguminosa só precisam ficar submersos em água limpa, contanto que essa água seja trocada pelo menos uma vez, a fim de que parte das substâncias com características antinutricionais seja descartada junto à água. 

O remolho do feijão é um exemplo de como práticas simples podem proporcionar benefícios para a nossa alimentação, garantindo que as propriedades nutricionais sejam mantidas e os efeitos indesejáveis minimizados. Com planejamento e organização você pode consumir esse prato tão comum no cotidiano do brasileiro, sem ter que sofrer possíveis consequências desagradáveis na digestão.  

Comentários