Coronavírus: somente 148 dos 853 municípios de Minas tem casos confirmados

Minas Gerais (MG) é um dos maiores estados do Brasil, possuindo uma extensão territorial de 586.528 km² e cerca de 20,87 milhões habitantes. O estado registra atualmente 1.649 casos confirmados para o coronavírus, que estão distribuídos em 148 municípios dos 853 existentes.
Embora o número de casos confirmados em Minas pareça baixo se comparado à quantidade de habitantes no estado, o momento deve continuar sendo de cautela, pois, de acordo com o Ministério da Saúde do Brasil, o coronavírus é repassado por transmissão comunitária, o que significa que o vírus pode ser transmitido para várias pessoas, por variadas fontes ao mesmo tempo e não necessariamente por uma pessoa que esteve no exterior (como era inicialmente). Nesse caso a transmissão do coronavírus pode acontecer de forma indiscriminada e de origem desconhecida.
O governo de Minas permanece com o decreto para o distanciamento social, no entanto, se prepara para retomar às atividade comerciais, o que divide opiniões.
Nesta terça-feira (28) foram repassados 4.520 testes rápidos para 86 cidades que fazem parte da região Norte de Minas Gerais. Os municípios que irão receber os teste devem se enquadrar dentro dos critérios técnicos definidos pelo Ministério da Saúde. Montes Claros e região receberam 3.300 testes, 900 serão distribuídos em Januária e região. O demais 320 vão para a Regional de Saúde de Pirapora.
As primeiras pessoas a serem testadas são as que trabalham na área da saúde, em especial as que estão na linha de frente do combate ao coronavírus, sendo médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e auxiliares de serviços gerais que atuam em hospitais, prontos socorros e Unidades de Pronto Atendimentos (UPA), e que apresentam síndrome gripal com quadro respiratórios agudo. Também serão testados profissionais de segurança pública em atividade, pessoas que apresentem síndrome gripal e que residam no mesmo domicilio de um profissional de saúde ou de segurança em atividade e pessoas com 60 anos ou mais que recebam diagnóstico de síndrome gripal.

Comentários