O mundo se divide entre aqueles que amam cozinhar e aqueles que detestam até mesmo imaginar a possibilidade de ter que ir para o fogão. Os que se enquadram no primeiro grupo conseguem, por si só, listar inúmeras vantagens de se aventurar na culinária; é sobre esses benefícios que trataremos a seguir.

Durante o preparo de alguma refeição é necessário atenção e foco, para tanto, nesse momento é comum nos desligarmos um pouco dos problemas do dia a dia, o que alivia o estresse e melhora a concentração. Além disso, é uma oportunidade de aprender sobre gerenciamento de tempo, e apreciar o momento presente. Estes são alguns fatores que justificam um estudo publicado no “The Journal of Positive Psychology”, o qual afirma que cozinhar está entre a lista de atividades criativas que ajudam a combater a depressão e a ansiedade. 

Cozinhar é sempre um processo de criatividade e desenvolvimento da inteligência, o que faz com que a pessoa se torne mais autoconfiante e desenvolva novas habilidades ao se arriscar, inventar e inovar, por exemplo, quando utiliza ingredientes substitutos ou acrescenta outros que diferem da receita tradicional. Todo preparo de alimentos envolve analisar situações e tomar decisões rápidas para resolver os mais variados problemas que podem surgir.  Tudo isso ajuda a trabalhar melhor o cérebro, ativar a memória e a capacidade de concentração, reduzindo a probabilidade do desenvolvimento de doenças neurodegenerativas.

Se você pode ser definido como uma pessoa desorganizada, a cozinha pode ajudar a melhorar isso, pois, para obter sucesso na missão de cozinhar é preciso obedecer a uma ordem cronológica, além de deixar tudo em ordem para começar a preparar a sua refeição, bem como reorganizar e deixar tudo limpo ao final do preparo.

Entre as principais habilidades trabalhadas na gastronomia estão aprender a tomar decisões em pouco tempo, administrar melhor o tempo, ser organizado e melhorar a concentração e criatividade. Concentrar-se inteiramente no preparo dos alimentos pode ser uma verdadeira forma de meditação mindfulness, transformando o ato de cozinhar em uma atividade relaxante, além de uma fonte de prazer, tanto pela conclusão do objetivo proposto, quanto pela satisfação em apreciar um prato que se goste ou observar o deleite de terceiros ao experimentar uma preparação.

Segundo Mia Couto “cozinhar é um modo de amar os outros”; se você ainda não se aventurou em aprender algo novo na cozinha, não perca tempo! Experimente exercitar essa linguagem de amor e ganhe de brinde o benefício de um cérebro mais ativo e saudável.

COMENTÁRIOS
<