O segredo do sucesso é a moderação

E, se eu te disser que até aquela couve que você come diariamente na saladinha e/ou no suco verde se consumida em excesso pode causar problemas?

Os vegetais crucíferos, como couve, couve-flor, brócolis e repolho, são ricos em glicosinolatos, que são compostos com propriedades anticancerígenas. Entretanto, esses compostos produzem o tiocianato, que compete com o iodeto pela entrada nos folículos tireoideanos, o que inibe a produção de hormônios da tireoide, pois como é sabido, o iodo é essencial para que a tireoide consiga realizar a síntese de hormônios. Por isso, apesar da ingestão de vegetais crucíferos ser benéfica para a saúde, o consumo frequente de altas quantidades pode induzir ou exacerbar o hipotireoidismo em pessoas com baixa ingestão de iodo.

+ Como evitar o efeito sanfona

No entanto, vale lembrar que o consumo não precisa ser restrito por completo, visto que não existem dados de quantidade máxima recomendada, dessa forma estes devem ser incluídos na dieta, mas sem exageros.  Na presença de substâncias bociogênicas na dieta (como a mandioca, nabo, rabanete, couve, brócolis e repolho), é importante que seja aumentada a ingestão de alimentos fonte de iodo (sal iodado, peixes de água salgada, leite, ovos, etc.).

Para se garantir uma alimentação saudável recomenda-se a ingestão diária de vegetais de todos os grupos, por isso deve-se ter no prato a maior variedade possível, incluindo os vegetais verde-escuros (dentre eles os crucíferos), que são importantes fontes de ferro e cálcio.  Portanto, não se esqueça de variar as folhagens utilizadas no suco verde e na salada, afinal uma alimentação monótona além de não fornecer todos os nutrientes necessários não é suficientemente prazerosa como deve ser.

+ Emagrecer ou perder peso: Qual a sua preferência?

Comentários