AtléticoCopa do BrasilCruzeiroFutebolMinas Gerais

Quem pode fazer a diferença no superclássico de hoje?

O confronto reúne ídolos de Cruzeiro e Atlético para mais um grande confronto

O elenco de Cruzeiro e Atlético são equilibrados, mas por questão de consolidação do plantel, a Raposa sai um pouco a frente, já que conquistou dois títulos da Copa do Brasil mantendo a base do plantel. Já o time atleticano sofre instabilidade desde o ano passado e só agora começa a esboçar melhor desempenho e estabilidade. E fica o questionamento: dentre os 11 jogadores das duas equipes, quem pode desequilibrar no clássico de hoje?

Cruzeiro

Fábio

Ídolo da Raposa, Fábio é um dos atletas mais vencedores da história do clube, já tendo conquistado, com a camisa estrelada, dois Campeonatos Brasileiros (2013 e 2014), três Copas do Brasil (2000, 2017 e 2018) e sete Campeonatos Mineiros (2006, 2008, 2009, 2011, 2014, 2018, 2019). Além das conquistas com o grupo celeste, o goleiro coleciona 30 títulos individuais. Fora o imenso hall de medalhas do goleiro, a identificação com o clube é muito grande, sendo o jogador que mais vestiu a camisa do Cruzeiro em toda a história do clube. Fábio tem histórico de ser decisivo em clássicos, com desempenhos de alta qualidade.

Dedé

O zagueiro carrega o apelido de “Mito” e não é à toa. O camisa 26 soma 15 títulos individuais na carreira. Tem como característica o desarme, de muita qualidade, além de, por ter grande porte físico, ser bom pelo alto e nas divididas. Dedé soma, pelo Cruzeiro, dois títulos Brasileiros (2013 e 2014), duas Copas do Brasil (2017 e 2018) e três Campeonatos Mineiros (2014, 2018 e 2019). O líder da defesa celeste criou um vínculo muito forte com o clube após ter ficado parado por três temporadas, sofrendo seguidas lesões, e, mesmo assim, o time mineiro não ter desistido dele. No início do ano, Dedé foi abordado diversas vezes pelo Flamengo, que fez propostas muito altas pelo jogador, mas decidiu ficar na Raposa pela gratidão o clube e torcida.

Thiago Neves

Outro xodó da torcida cruzeirense. Ele é polêmico, gosta de provocar o rival, e, mais que isso, é sempre decisivo com a camisa celeste. O meia soma quatro conquistas pela Raposa, sendo eles duas Copas do Brasil (2017 e 2018) e dois Campeonatos Mineiros (2018 e 2019). Além disso já conquistou 17 títulos individuais na cerreira, tendo passagem pela Seleção Brasileira e por outros times grandes do país, como Fluminense e Flamengo. O jogador de 34 anos carrega a fama de se destacar em jogos importantes. Na atual edição da Copa do Brasil, Thiago marcou dois gols no empate conta o Fluminense e converteu a última cobrança de pênalti, que gerou a classificação do Cruzeiro. Na final da edição 2018 do mesmo torneio, o craque marcou o gol da vitória sobre o Corinthians, no jogo de ida, sendo primordial na conquista da taça. Na outra decisão de Copa do Brasil disputada por Thiago Neves com a camisa estrelada, a partida foi para os pênaltis e coube ao jogador converter a última penalidade da disputa e correr pro abraço.

+ Siga o Mais Minas no Instagram
Quem pode fazer a diferença no Clássico de hoje?
Dedé e Thiago Neves são dois dos principais nomes do elenco celeste – Crédito da foto: Vinícius Silva/Cruzeiro

Atlético

Victor

Para muitos, o maior goleiro da história do clube. Tanto que a torcida já até o canonizou como “São Victor do Horto”. Isso tudo porque, além de se destacar com grandes atuações, Victor foi brilhante na campanha da Copa Libertadores de 2013, defendendo um pênalti aos 47 minutos do segundo tempo, contra o Tijuana-MEX, nas quartas de final. Além disso defendeu mais dois pênaltis nas disputas da semifinal e final da mesma competição continental. Recentemente, seu desempenho foi questionado, mas após defender três pênaltis contra o Unión La Calera na Copa Sul-Americana, sua moral voltou com tudo. Pelo Galo, o arqueiro já conquistou três Campeonatos Mineiros (2013, 2015 e 2017), uma Copa Libertadores (2013), uma Recopa Sul-Americana (2014) e uma Copa do Brasil (2014). Além das conquistas coletivas, Victor soma 10 premiações individuais.

Réver

O zagueiro também é ídolo do Galo, já tendo conquistado uma Copa Libertadores (2013), uma Recopa Sul-Americana (2014), uma Copa do Brasil (2014) e dois Campeonatos Mineiros (2012 e 2013), pelo Atlético. Além disso, o capitão do time soma 12 títulos individuais. Réver voltou nessa temporada após ter passagens pelo Internacional (2015) e Flamengo (2016 a 2018) para ser mais uma vez o xerife da defesa atleticana. É um jogador de confiança da torcida e que tem características de um defensivo clássico, que não dá muito chutão, preferindo desarmar o adversário e dar o passe com maior qualidade.

Luan

Outro ídolo da torcida atleticana, o “Menino Maluquinho” tem como característica principal sua força de vontade. A raça do jogador é tão grande que é quase impossível não o ver esgotado em campo ao final das partidas. Para muitos, o jogador é a cara do Galo. O jogador já conquistou três Campeonatos Mineiros (2013, 2015 e 2017), uma Copa Libertadores (2013), uma Recopa Sul-Americana (2014) e uma Copa do Brasil (2014). O meia-atacante é famoso, também, por provocar o rival. O jogador tem história na Copa do Brasil, pela grande campanha na competição do ano de 2014, em que marcou cinco gols no torneio, sendo um deles, inclusive, no clássico da final contra o Cruzeiro.

Quem pode fazer a diferença no Clássico de hoje?
Luan é conhecido como “Menino Maluquinho” pela sua forma aguerrida de jogar – Crédito da Foto: Bruno Cantini / Atletico

O clássico de Hoje

A primeira partida do clássico mineiro acontece hoje, às 20h, no estádio Mineirão, válido pelo jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil. O mando é do Cruzeiro, que terá sua torcida em maior número, no estádio. O jogo de volta será na semana que vem, às 19h15 na Arena Independência, onde o mando de campo será do Atlético.

Sob supervisão de Maic Costa.

Deixe seu comentário

Etiquetas
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar