19.5 C
Belo Horizonte
sábado, 24 setembro 2022

O que seria o básico?

Muito se fala sobre quando ocorre aumento...

Você não é só o que você come

Assim como selecionamos os alimentos que vamos...

Soluço tem solução

Quantas vezes já sofremos aquele comum incômodo...
Portal Mais MinasColunasNutrição e AlimentaçãoAutismo e seus reflexos nos hábitos alimentares

Autismo e seus reflexos nos hábitos alimentares

Franciele Santana
Franciele Santana
Nutricionista, natural de Ouro Preto/MG, e uma admiradora da arte da escrita, almejo proporcionar saúde compartilhando meus conhecimentos de modo a agregar melhorias na vida do maior número de pessoas possível.

Existem alguns comportamentos alimentares bem característicos do Transtorno do Espectro Autista (TEA), dentre eles a seletividade e/ou recusa de alimentos e a indisciplina durante as refeições.

A seletividade pode ser exemplificada pela escolha de uma variedade limitada de alimentos, bem como a não aceitação de alimentos com cores, ou texturas diferentes, por exemplo. A recusa é caracterizada pela frequente rejeição a determinados alimentos, o que pode causar a deficiência de nutrientes, prejudicando o estado nutricional do indivíduo autista, sobretudo durante a infância. A indisciplina durante o momento da refeição pode se apresentar de diversas formas, por exemplo ao expelir ou descartar a comida ou através do choro ou até mesmo recusa em se alimentar.

Algumas possíveis explicações para esses comportamentos peculiares correspondem ao fato de muitos autistas não desenvolverem habilidades de comunicação o que dificulta em expressar fome, saciedade e preferências alimentares, por exemplo. Além disso, por apresentarem resistência a qualquer nova experiência eles transferem isso também para o comportamento alimentar.

As alterações alimentares das crianças com TEA interferem na rotina de toda a família, pois pode tornar o momento da realização das refeições em instantes de estresses e angústias decorrentes de uma sucessão de tentativas frustradas de aceitação da alimentação.

Algumas dicas para facilitar o ato alimentar da criança com autismo são:

  • Convidar a criança para ajudar no preparo dos alimentos, realizando pequenas e simples tarefas que possam estimulá-la a experimentar coisas novas.
  • Preparar o prato da criança com pequena quantidade de comida e com alimentos de cores variadas. De preferência faça um prato igual para você.
  • Crie o hábito de oferecer as refeições sempre nos mesmos horários, evitando distrações como TV ou brinquedos.
  • Ofereça de formas ou preparações diferentes aqueles alimentos que a criança não gosta de comer, a fim de evitar as carências nutricionais.
  • Disponha os alimentos no prato de forma que eles não se misturem, pois alimentos separados costumam ser mais aceitos.
  • Ofereça novos alimentos aos poucos, de modo que a criança possa acostumar com a cor, cheiro, textura e aparência do alimento antes de efetivamente experimentá-lo.

A rotina é fundamental para o indivíduo autista, e é essa rotina que criará o hábito alimentar da criança. Deve-se ser paciente e respeitar o tempo delas valorizando cada progresso e buscando a cada dia uma nova conquista.

Leia também:

* Esse texto é um artigo de opinião do colunista e pode não representar a posição do portal Mais Minas sobre o assunto.

Você pode gostar também:

RECENTES

Veja também sobre: