Dê atenção ao que diz o seu corpo e cuide-se

0

O câncer colorretal é caracterizado por tumores que acometem o intestino grosso, sendo que a maioria desses originam-se de pólipos ,o que consiste no crescimento anormal de células na parede do cólon ou reto. Os pólipos crescem de forma lenta, portanto levaria anos para se transformarem em um tumor maligno, sendo assim há tempo suficiente para que sejam identificados e removidos por meio de colonoscopia.

Alguns dos principais fatores de risco associados à ocorrência de câncer colorretal são relacionados ao estilo de vida, como o consumo de carnes vermelhas e processadas, baixa ingestão de fibras, o sedentarismo, obesidade, alcoolismo e tabagismo. Outros fatores associados consistem na existência de inflamações intestinais crônicas e o histórico familiar, sendo que a ocorrência de câncer colorretal em familiares de primeiro grau parece estar relacionada com a predisposição ao desenvolvimento de tumores.

Os sintomas deste tipo de câncer variam conforme a localização do tumor, sendo que estes quanto mais próximos do ânus forem, maior a frequência de sintomas intestinais, como diarreia ou constipação, dor abdominal, presença de sangue ou muco nas fezes, etc., porém esses sintomas também podem ocorrer em pessoas com doenças benignas, da mesma forma que portadores de tumores malignos podem ser assintomáticos; portanto os exames para rastreamento são de extrema importância.

O tratamento depende de fatores como localização, tamanho e extensão do tumor, bem como o estado de saúde do paciente. Geralmente a cirurgia é o tratamento inicial e, em seguida faz-se a radioterapia, associada ou não à quimioterapia. Os pacientes devem ser cuidados por uma equipe multidisciplinar composta pelo cirurgião oncológico, oncologista clínico, radioterapeuta, nutricionista, enfermeiros e psicólogos, tendo cada um deles papel essencial no processo de recuperação e cura do paciente.

O câncer colorretal pode ser prevenido, desde que se busque uma vida mais saudável e se faça um acompanhamento médico periódico, caso haja histórico familiar e/ou sejam notadas alterações nos hábitos  intestinais. A atenção à saúde é essencial, pois nosso corpo geralmente dá sinais de que necessita de cuidados, basta estarmos atentos para identificar e interpretá-los a fim de que dessa forma seja possível agir em tempo hábil para evitar complicações.

* Esse texto é um artigo de opinião do colunista e pode não representar a posição do portal Mais Minas sobre o assunto.