ColunasNutrição e AlimentaçãoSaúde

Sobre o protagonista no assunto alergia alimentar

Quando se fala em alergia alimentar logo se lembra dos frutos do mar, que são alimentos frequentemente associados a reações alérgicas, devido ao fato de serem  frequentes causadores de reações anafiláticas.

A classificação de frutos do mar é uma denominação da gastronomia, que corresponde aos animais que geralmente possuem uma concha ou carapaça externa, como os crustáceos e moluscos. Os crustáceos incluem o camarão, o caranguejo, a lagosta e o lagostim, enquanto entre os moluscos se enquadram os mexilhões, polvos, lulas, ostras e lesmas do mar.

Quando o indivíduo é alérgico a um tipo de crustáceo, normalmente, também é a todos os outros tipos. O mesmo serve para o grupo dos moluscos.

Quando é diagnosticada a alergia, é importante que seja evitado o consumo de um ou mais grupos de frutos do mar; porém, é muito comum a ocorrência de exposição acidental, principalmente quando a pessoa come fora de casa. Até mesmo o vapor que é liberado dos alimentos durante a cocção pode gerar uma reação alérgica, bem como se outros alimentos forem preparados utilizando os mesmos utensílios ou recipientes que entraram em contato com frutos do mar. Também é preciso cautela na aquisição de peixes nos estabelecimentos que também comercializam frutos do mar, pois estes podem ter sido contaminados durante a manipulação, corte ou mesmo no simples contato.

  Conhecimento popular nem sempre é sabedoria

Geralmente, os sintomas aparecem de alguns minutos até duas horas após a ingestão do alimento. Entre os sintomas mais comuns estão urticárias, náuseas e vômitos, diarreia, falta de ar, tosse repetitiva, dificuldade de deglutição, inchaço de olhos, lábios, língua e outras partes do corpo, tonturas ou desmaios, etc.

Na ocorrência de uma reação é importante procurar atendimento médico de urgência, pois os sintomas podem variar desde manifestações leves até uma reação anafilática a qual pode levar à morte.

A alergia alimentar carece de muito cuidado de modo a evitar a ocorrência de reações, visto que a exposição aos alérgenos é muito fácil e corriqueira; dessa forma é de suma importância atentar-se às composições dos alimentos para evitar, principalmente, o contato acidental com a substância causadora de alergia e a consequente intercorrência no estado de saúde do alérgico.

  Minas Gerais registra 125 mortes por dengue em 2019; números crescem

Você pode gostar também:

Fechar