ItabiraMineração

Tremor de terra que assustou itabiranos foi causado por detonação em mina da Vale

Empresa emitiu nota onde assume a responsabilidade pelo abalo, mas afirma que opera dentro das conformidades.

Os tremores de terra que assustaram moradores de Itabira, município localizado a 110 km de Belo Horizonte, na última terça-feira (2), foram causados por uma detonação na Mina do Onça, propriedade da mineradora Vale. O abalo foi sentido em diversos locais, como Esplanada da Estação, Vila São Joaquim, Alto Pereira, Caminho Novo, entre outros.

Mesmo já acostumados com os tremores causados por detonações em minas, os moradores afirmaram, nas redes sociais, que os de terça-feira (2) foram mais fortes que o normal.

A reportagem do Mais Minas conversou com Ana Luísa Ribeiro, moradora do bairro Centro, mas que na hora do tremor estava na Esplanada da Estação.

“Na hora eu achei estranho o tremor, senti mesmo, até comentei com meus familiares que estavam comigo, mas o tremor foi rápido. Na minha casa não é muito comum, mas já aconteceu algumas vezes de estar fora de casa e sentir o tremor, mas não é muito frequente”, declarou.

  Confira as vaga do Sine de Itabira nesta quarta-feira (21/08)

Quando questionada pela reportagem se alguma vez a população já foi informada ou instruída pela Vale sobre esse tipo de situação, Ana Luísa afirmou desconhecer algum tipo de procedimento da empresa que oriente os moradores da cidade.

“Eu particularmente nunca fui instruída sobre esses casos, e nunca me falaram sobre algum tipo de informação que eles passam não”, finalizou.

Outra moradora da cidade, Fernanda Bissiati, que reside bairro Major Lage de Cima, o Areão, afirmou ao Mais Minas que seu bairro sempre é atingido quando se tem algum tipo de detonação nas áreas da Vale.

“Todas as janelas do prédio onde moro tem fissuras nos vidros por causa do impacto da Vale e o prédio realmente balança. A gente sente a estrutura indo e voltando. Em algumas explosões isso é bem forte e em outras, não”, contou.

  O Sine de Itabira tem diversas vagas nesta quinta-feira (22/08)

Fernanda disse ainda que segundo a Vale, tudo está dentro dos parâmetros normais e que não existem riscos para os prédios. Mas a moradora afirmou que os tremores assustam e que estes são frequentes, principalmente na hora do almoço.

“A gente sente e a gente sempre assusta né. Você tá trabalhando, tá fazendo alguma coisa e do nada tem essas explosões”, completou.

Logo após o susto, já se especulava que as causas do abalo teriam sido detonações em Minas, o que se confirmou após a Vale emitir nota comentando a situação e assumindo a responsabilidade.

“A Vale esclarece que as suas unidades operam em conformidade com as normas técnicas vigentes. A empresa realiza o controle dos efeitos gerados pelas suas detonações, por meio de monitoramentos sísmicos conduzidos por empresa independente, com equipamentos devidamente calibrados, operados por profissionais habilitados”, declarou a mineradora.

Sem abalos sísmicos

O Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (Unb), que apura esse tipo de situação, afirmou não ter registrado nenhum fenômeno na região. Mas em novembro de 2014, um tremor de 2.3 graus na Escala Richter foi registrado na cidade, segundo o observatório. Na época, especialistas informaram que o abalo foi de pequena magnitude e não causou danos físicos e nem feridos.

A Vale tem hoje duas minas e três usinas de beneficiamento de minério de ferro em Itabira.

Fechar