27.9 C
Belo Horizonte
domingo, 29 janeiro 2023

Pedro Luiz Teixeira de Camargo
Pedro Luiz Teixeira de Camargo
Pedro Luiz Teixeira de Camargo (Peixe) é Biólogo e Professor, Dr. em Ciências Naturais e Docente do IFMG.

Iluminação de Natal

Já virou tradição em Mariana a colocação das luzes de Natal em todo o seu centro histórico, mais uma vez vemos a cidade iluminada trazendo turistas e visitantes dos municípios limítrofes interessados em fotos e vídeos junto à Primaz de Minas.

Ouro Preto, ao contrário do ano passado onde tinha uma árvore natalina que parecia um minhocão na Praça Tiradentes, resolveu se enfeitar, mas por algum motivo que ninguém entende, ao invés de se inspirar na cidade vizinha e colocar guirlandas com luzes em todo o centro, só colocou em um local, na Praça mais famosa do mundo, quando poderia ter enfeitado todo o seu circuito turístico.

Se compararmos com o ano passado, sem dúvida já é um avanço que se percebe na cidade patrimônio mundial, mas ainda muito pouco perto de seu potencial. Veículos jornalísticos falam na expectativa de 100 mil visitantes em Mariana para conhecer sua decoração natalina, me espanta esse número, mas mesmo sem saber se é real, a metade disso já geraria um impacto extremamente significativo no comércio já tão cambaleado pelas políticas econômicas ineficazes do último governo federal.

Sem querer entrar no tema de quem paga esta conta, pois seria algo para outro texto, avalio que melhor explorar esta ideia, que parece estar virando tradição, seria um bom começo.

Sob este ponto de vista, ambas as cidades criaram programações especiais com apresentações, shows, entre outras coisas para fortalecer ainda mais o espetáculo. No caso, o que faz um pouco de falta são as atrações acontecerem em mais pontos do centro e não somente em um, como no caso de Ouro Preto, onde está tudo localizado na Praça Tiradentes (mais uma vez), enquanto o resto de seu circuito turístico não recebeu o mesmo privilégio.

Ao contrário de outros textos que já escrevi nesta coluna, desta vez minha intenção não é apontar culpados, mas trazer uma importante reflexão sobre como podemos explorar melhor nossas belas cidades em cima de um tema que atrai turistas, gerando emprego e renda para parte importante do nosso comércio, que junto com o serviço público e a mineração, é o principal empregador da região.

Fica a reflexão para todos e todas nós, afinal de contas, que fim de ano queremos para nossas cidades?

Um ótimo Natal e próspero ano novo a todos os nossos leitores!

Até 2023!

* Esse texto é um artigo de opinião do colunista e pode não representar a posição do portal Mais Minas sobre o assunto.

Você pode gostar também:

RECENTES

Veja também sobre: