Sérgio Fernandes Antunes
Sérgio Fernandes Antunes
Sérgio Fernandes Antunes, acadêmico de Direito, mineiro do Vale do Jequitinhonha, sagitariano, militante de causas sociais, apreciador da Língua Portuguesa e da escrita, amante de política e tudo que abarque a vida em coletividade.

Sérgio Moro: uma alternativa entre os extremos em 2022?

Após o pedido de demissão do governo bolsonarista, em abril deste ano, o ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, dedicou seu período em quarentena para definir os rumos da nova carreira profissional. Moro obteve licença para o exercício da advocacia, captando potenciais clientes da área de compliance e objetiva dar aulas e palestras como forma de intercalar a advocacia. Esses são os objetivos ditos por Moro ao ser indagado inúmeras vezes sobre o rumo da sua carreira profissional. Entretanto, há planos mais ambiciosos e mais complexos como o fortalecimento de sua imagem política para pleitear a Presidência da Republica na próxima eleição.

Posteriormente a conturbada saída do governo, Sérgio Moro iniciou contatos com figuras políticas, empresários, investidores e banqueiros, como forma de demonstrar as diferenças de posicionamentos entre ele e o atual presidente. Diante das divergências de opiniões e posições com Bolsonaro, Moro tem se colocado como a opção do espectro político centro-direita. No campo econômico ele se diz liberal, defendendo a privatização de empresas estatais e reformas como tributária e administrativa.

+ Eleições 2020: Voto Consciente

Com ascensão política de Moro, ele passou de inimigo e começou a receber apoio de grandes figuras políticas e econômicas, como o ministro da economia Paulo Guedes, um dos poucos integrantes do governo Bolsonaro considerado amigo do ex-juiz. Essa evolução de Moro vem deixando muitos curiosos de como seria um possível governo Moro, como disse o analista político da XP Investimentos “Levantamentos mostram uma competitividade eleitoral do ex-ministro Sérgio Moro. Estamos muito longe da eleição de 2022, mas há um interesse em se tentar compreender o que seria um eventual Governo Moro”.

Sérgio Moro vem tentando criar uma nova imagem para a população brasileira, se esquivando dos escândalos envolvido na Operação Lava Jato na qual comprovaram vários erros e deturpações no devido processo legal. Exemplo disso é o seu interesse na reforma tributária e o enxugamento da máquina pública, logo afastando a imagem de justiceiro e estrategicamente posicionando como uma personalidade central longínqua dos extremos. Defensor da recuperação do espirito de reformas e a favor da privatização de empresas estatais, contudo acredita que o estado deva ter o controle sobre áreas importantes como educação, saúde e segurança pública.

O ex-ministro da justiça sempre ratifica ser avesso ao extremos políticos e marca posição como uma alternativa entre tais. Moro diminui a intensidade da bandeira anticorrupção e potencializa as pautas da geração de emprego e crescimento econômico ponderando serem mais proeminentes para o eleitor na próxima disputa presidencial. A nova faceta de Moro atraiu atenção para a formação de alianças de candidatos que trabalham na tentativa de construção da opção mais ao centro, uma terceira via à luz da polarização entre a direita e a esquerda.

O fortalecimento da via central vem ganhando repercussão após Moro se reunir com Luciano Huck e João Doria, ambos cotados a presidência, para conversas reservadas que são descritas por Moro como conversas entre pessoas preocupadas com o Brasil e para evitar a volta e intensificação do discurso de ódio em 2022.

É impotente salientar o potencial eleitoral do ex-juiz e suas dificuldades quanto a deturpação do devido processo legal dentro da operação Lava Jato. Uma pesquisa concebida pelo Instituto Paraná evidenciou que Moro ocupa o segundo lugar na intenção de voto na próxima eleição, ficando atrás apenas de Bolsonaro. Dessa forma, Moro é visto como uma figura política forte para as eleições de 2022, capaz de apaziguar a polarização entre Bolsonaro e Lula.

Segundo especialistas em política, a grande incógnita para Moro é descobrir qual legenda lhe dará abrigo e construirá uma chapa competitiva. Grandes partidos já possuem personalidades cotadas ao cargo como, o DEM trabalha pela candidatura de Luciano Huck e PSDB fechado com o Doria até o momento. Dada o posicionamento ideológico de Moro, sobram poucas opções no campo do centro, uma delas é o Podemos. Outros partidos de centro tendem a apoiar o candidato com mais chances de vitória.

A construção do perfil político de Sérgio Moro encontra-se empecilho no STF, na qual moro será julgado pela atuação nos processos que envolvem o ex-presidente Lula na Operação Lava Jato, frisa-se aqui que Moro tem desafetos na suprema corte de justiça brasileira. Caso Moro seja considerado suspeito, o ex-presidente Lula poderá ter suas penas anuladas e em tese reabilitado politicamente, possibilitando-o disputar as eleições presidenciais. Caso isso aconteça, seria uma grande derrota para a Operação Lava Jato, uma vez que comprovaria sua total imparcialidade quanto ao julgamento justo e em conformidade aos princípios constitucionais e do devido processo legal.

Leia mais

2020: um ano além do Coronavírus, um ano antirracista!

A pandemia contribuiu para o esquecimento de muitos episódios que aconteceram durante o ano, porém nem tudo girou em torno do coronavírus. Hoje é...

Eleições 2020: Voto Consciente

“Voto Consciente” foi o termo mais difundido durante o período eleitoral de 2020 diante da atual conjuntura política brasileira. O anseio pela renovação política,...

Eleições 2020 em números e dados

O Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP) divulgou uma pesquisa denominada “Panorama das Eleições Municipais – Mapa das Candidaturas 2020”, objetivando dar maior transparência...

Artigos Relacionados

Eleições 2020: Zerésima, registro digital de voto e boletim de urna

Você sabe como funciona a apuração dos votos, desde a confirmação do seu voto até o resultado da eleição? Antes mesmo de abrirem os locais...

Eleições 2020: você sabe qual o papel desempenhado pelo prefeito, vice-prefeito e vereador?

O prefeito, o vice-prefeito e os vereadores, ao serem eleitos por intermédio do voto direto, passam a integrar o poder político do município, sendo...

Entenda a diferença: voto branco, voto nulo e abstenção

O Direito ao Voto é resguardado pela Constituição Federal de 1988 no seu Art. 14 em que proclama que a soberania popular será exercida...

“O que os caras querem é a nossa hemorroida”, diz Bolsonaro em vídeo divulgado pelo STF

Após solicitar que a Polícia Federal realizasse algumas edições, retirando algumas menções à China e ao Paraguai, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF),...