Take a fresh look at your lifestyle.

O Verdadeiro Papel da Nutrição no Câncer

Com a recente morte do jornalista  Marcelo Rezende, tem sido aumentadas  as especulações sobre a adesão da dieta cetogênica no tratamento do câncer. O jornalista citado, nos seus últimos dias de vida desistiu do tratamento quimioterápico e optou por buscar a cura do câncer por meio de métodos alternativos, como retiros espirituais e a dieta cetogênica.

Nutrição no Câncer - Dieta cetogênica
Marcelo Rezende construiu uma carreira de mais de 40 anos no jornalismo (Imagem: Arquivo/Record TV)

Dieta cetogênica

A composição da dieta cetogênica é caracterizada pela baixa quantidade de carboidratos, os quais são substituídos por lipídeos e proteínas. A ideia de que esse tipo de dieta pode combater o câncer parte do pressuposto de que o não fornecimento de glicose impede o crescimento de células cancerosas, porém não existem evidências científicas que comprovem esta hipótese, visto que as células cancerosas podem utilizar para o seu crescimento a glicose produzida utilizando  precursores diferentes dos carboidratos.

A nutrição no câncer é de extrema importância, sendo que o objetivo principal é prevenir ou tratar a desnutrição, preservando ou melhorando o estado nutricional do paciente a fim de que este possa reagir bem ao tratamento e amenizar os efeitos adversos dos medicamentos, proporcionando qualidade de vida ao indivíduo.

O paciente não pode ser utilizado como cobaia de um tratamento que não possui eficácia comprovada. Durante anos foram feitos estudos que permitiram os avanços alcançados no tratamento convencional (radio e quimioterapia) para que este, hoje, possa garantir grandes chances de cura, portanto não é recomendável que se abra mão do que é cientificamente aprovado para aderir a tratamentos alternativos que podem ou não surtir efeitos.

Escolha do Tratamento Adequado

Os tratamentos alternativos podem ser usados de maneira complementar ao convencional, para proporcionar maior conforto e bem estar ao paciente, porém não devem ser usados como substitutos. Mas existem peculiaridades de caso para caso e, indiscutivelmente, os médicos responsáveis precisam avaliar o prognóstico do paciente para decidir se vale a pena se fazer um tratamento tão agressivo quanto o convencional ou se é mais vantajoso que sejam feitos cuidados paliativos, a fim de garantir qualidade de vida ao paciente no enfrentamento da doença. A escolha do tratamento a ser realizado deve partir da equipe médica a qual deve considerar além do quadro de saúde os desejos do paciente.

Uma alimentação balanceada é comprovadamente importante na prevenção de diversos tipos de câncer, para isso é interessante a aquisição de hábitos saudáveis como, por exemplo, consumir  fibras e produtos orgânicos e evitar o consumo de gorduras, embutidos e defumados, etc. Porém após um câncer já ter se instalado, uma boa alimentação  é fundamental para o sucesso no tratamento, atuando como estratégia complementar para  diminuir a toxicidade do tratamento, recuperar ou manter o peso corporal e fornecer energia para lutar contra a doença, mas o que podemos assegurar é que, infelizmente, não existe uma dieta capaz de curar o câncer.

Leia também: 

Close