Em Nova Lima, famílias devem ser retiradas de área de risco de barragem

No dia 27 de março de 2019, a barragem B3/B4 da mina Mar Azul, no distrito de Macacos, em Nova Lima, Região Metropolitana de Belo Horizonte, entrou em alerta máximo para risco de rompimento. Após quase um ano a Defesa Civil de Minas Gerais informou hoje, terça-feira (28), que quatro famílias devem ser retiradas da área de risco.

A estrutura que estava em nível 2 em fevereiro de 2019, passou para o nível 3, em que o risco de rompimento é alto, exigindo evacuação imediata. Três famílias já serão retiradas hoje, terça-feira, e serão levadas para um hotel. Uma quarta família está sendo avaliada pela Defesa Civil.

A barragem em questão pertence a Vale e tem cerca de 3 milhões de metros cúbicos de rejeito, contruída com o mesmo tipo de estrutura da Barragem I da Mina de Córrego do Feijão, em Brumadinho, que se rompeu no dia 25 de janeiro de 2019.

Leia a nota da Vale na íntegra:

Nova Lima, 28 de janeiro de 2020 – A Vale informa que irá realocar, nesta terça (28/01), outras quatro famílias residentes na região de Macacos, em Nova Lima (MG). A medida, de caráter preventivo, leva em conta o Termo de Compromisso firmado com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) para revisão do dam break de todas as barragens em Minas Gerais. Resultados preliminares sugeriram uma mancha de inundação próxima do horizonte que considera 100% do carreamento de rejeitos em um cenário extremo de rompimento, o que implica na realocação. A operação será conduzida pela Defesa Civil com o apoio da Vale. As famílias serão acomodadas em hotéis da região e receberão assistência integral da empresa. Os animais resgatados serão abrigados na Fazenda do Engenho, sob os cuidados de 90 funcionários, entre médicos veterinários, biólogos e auxiliares.

Cabe ressaltar que não houve alteração nos dados técnicos da B3/B4 ao longo dos últimos meses e que as últimas inspeções não detectaram anomalias. Em algumas barragens localizadas em regiões mais afetadas pelas chuvas, como é o caso da B3/B4, a Vale instalou bombas adicionais para aumentar a vazão da água dos reservatórios para os sistemas de drenagem. A barragem é monitorada 24 horas por dia por meio de vídeo, radar e satélite. Também possui estações robóticas capazes de detectar movimentações milimétricas. Entre as melhorias que vêm sendo realizadas continuamente estão o rebaixamento do nível de água dos reservatórios, a limpeza dos canais de drenagem, a perfuração de poços e a construção de canais de cintura para evitar a contribuição de água da chuva para o interior da estrutura.

Lei também: Mineradoras recebem alerta para reforçarem segurança de barragens devido a chuvas

Comentários estão fechados.