BarbacenaDestaqueExclusivaSaúde

Interativo: Holocausto Brasileiro, Hospital Colônia e a luta antimanicomial

O documentário Holocausto Brasileiro, produzido em 2016 pela jornalista Daniela Arbex e pelo diretor Armando Mendz, é baseado no livro homônimo de Daniela lançado em 2013. Assim, ambos retratam a história da morte de mais de 60 mil pessoas internas do hospital psiquiátrico, nomeado como Hospital Colônia, localizado na cidade de Barbacena, no sudeste de Minas Gerais.

Na última matéria publicada pelo Mais Minas sobre a obra e sobre o hospital, foi exposto a construção da memória através da mídia, repercutindo nas redes sociais muitos comentários e recordações da época vivida em paralelo ao Colônia.

Entrevistas e comentários foram reproduzidos na íntegra nesta matéria interativa e temporal, com relatos de pessoas que viveram na época, que presenciaram os horrores vividos e também de pessoas que fazem parte da atual conjuntura da “saúde mental”. Entre eles, aparecem falas dos que vivenciam as residências terapêuticas, responsáveis hoje, por acolher e assistir pacientes com transtornos mentais.

Confira a matéria interativa sobre o Holocausto Brasileiro:

Hospital Colônia e o “Holocausto Brasileiro”

O Hospital Colônia foi fundado em 1903, na cidade de Barbacena, Minas Gerais, conhecida por “Cidade dos loucos”. O Hospital, que no início tratava de pacientes vítimas da tuberculose, se tornou um local especializado para tratamentos psiquiátricos, mas logo depois, se tornou um grande depósito de corpos e protagonista de ações desumanas.

A instituição era formada por inúmeros prédios e pavilhões, cada um com uma especialidade: o pavilhão Zoroastro Passos recebia as mulheres indigentes; o pavilhão Antônio Carlos, recebia homens indigentes; os pavilhões Afonso Pena, Milton Campos, Rodrigues Caldas e Júlio Moura recebiam todo o tipo de pessoa. A maioria dos pacientes enviados para lá não tinham diagnóstico mental, eles eram apenas, indesejados pela sociedade da época.

Os horrores causados dentro do hospital, foram por muitos anos, silenciados. A jornalista Daniela Arbex denunciou estes acontecimentos desumanos em sua obra lançada em 2013, denominada como “Holocausto Brasileiro”. A obra em questão foi capaz de construir uma memória, esquecida por tantos anos, por todos nós.

Assista o documentário “Holocausto Brasileiro”, homônimo ao livro na íntegra:

O material, trouxe a voz de sobreviventes, enfermeiros, médicos que contribuíram com a quebra do silenciamento e com a exposição do que foi vivenciado na época.

Deixe seu comentário

Etiquetas
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar