O que você procura?
Renova banner


Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item

Vale conclui primeira fase de construção da estrutura de contenção de rejeitos, em Itabirito

Rodolpho Bohrer 8 de outubro de 2020 às 21:22
Tempo de leitura
2 min
Imagem: Google Maps
Imagem: Google Maps

Em comunicado enviado à prefeitura de Itabirito na última terça-feira (6), a mineradora Vale informa que a primeira fase da construção da estrutura de contenção de rejeitos, de 77 metros de altura e 300 metros de comprimento, está concluída. A construção da estrutura tem como objetivo minimizar os impactos na eventualidade de um rompimento das barragens da Mina de Fábrica, localizadas entre as cidades de Ouro Preto e Itabirito.

Segundo o comunicado da Vale, após o fim da primeira etapa, a estrutura já proporciona mais segurança para as comunidades, sendo capaz de reter rejeitos na hipótese de ruptura das barragens Forquilha I, II, III e IV, evitando que os rejeitos atinjam localidades de Itabirito e dos municípios de Raposos, Rio Acima, Nova Lima e três bairros de Belo Horizonte (Jardim Vitória III, Beija-Flor e Maria Tereza).


A segunda fase das obras, que já se iniciou, consiste na elevação de mais 17 metros da estrutura. A conclusão dessa etapa permitirá que a estrutura tenha a capacidade de reter 100% dos rejeitos das barragens Forquilhas I, II e IV, mais Forquilha III, considerando uma hipótese de rompimento simultâneo das estruturas, além do rompimento da barragem de Grupo, também situada na Mina de Fábrica.

A Vale encerra o comunicado ressaltando que as barragens da Mina de Fábrica são monitoradas 24 horas por dia, 7 dias por semana, por meio de instrumentos, tais como: radar terrestre, estação total robótica, piezômetros e indicadores de nível d’água automatizados, os quais estão conectados ao Centro de Monitoramento Geotécnico da Empresa.

Inscreva-se no nosso boletim informativo

Inscreva-se para receber as principais notícias veiculadas no nosso site em sua caixa de entrada, uma vez por dia.

Não fazemos spam! Leia nossa política de privacidade para mais informações.

ATENÇÃO: Ao copiar uma matéria do Mais Minas, ou parte dela, não se esqueça de incluir o link para a notícia original.