CruzeiroJustiçaPlantão Policial

Ministério Público suspende atividades de 2 torcidas organizadas do Cruzeiro

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), expediu, nessa quinta-feira (3), medida cautelar que determina a suspensão temporária das atividades das torcidas organizadas Máfia Azul e Pavilhão Independente. Deste modo, ambas as torcidas estão proibidas de frequentarem qualquer estádio do Brasil e de se aproximarem dos seus entornos num do raio de cinco mil metros.

Além disso, a suspensão também proíbe o uso, porte e exibição de qualquer vestimenta, faixa, bandeira, instrumento musical ou qualquer objeto que possa caracterizar a presença da torcida nos estádios ou de locais próximos em dias de jogos.

A medida inicia-se a partir do dia 5 de outubro, data em que o Cruzeiro joga com o Internacional, e valerá por um período de 30 dias. Neste período, as duas torcidas organizadas poderão apresentar sua defesa ao Ministério Público mineiro. Os integrantes da Máfia Azul e da Pavilhão Independente também estão impedidos, por 30 dias, de utilizarem suas sedes em dias de jogos do Cruzeiro e de torcidas rivais, sob pena de multa de R$ 50 mil reais.

De acordo com o promotor de Justiça de Defesa do Consumidor de Belo Horizonte, Paulo de Tarso Morais Filho, o banimento é uma medida educativa, com caráter cautelar, previsto no Estatuto do Torcedor e se mostra necessária.

“A participação dessas torcidas organizadas em eventos esportivos tem causado, nas últimas semanas, agravamento da violência, com risco à integridade física de torcedores desvinculados, incluindo famílias, e pessoas não envolvidas com os jogos. Não podemos deixar os atos de infração à Lei e à segurança do torcedor sem a resposta necessária”, afirmou o promotor.

Nota da Máfia Azul

Pelas redes sociais, a Máfia Azul emitiu um comunicado oficial sobre o ocorrido, informando que repudia todo e qualquer ato de violência e que as acusações que estão sendo atribuídas a eles, não devem prosperar. A torcida acrescenta que “está a disposição da Polícia Militar e do Ministério Público Estadual, bem como das demais autoridades para a elucidação dos fatos, que não podem ser simplesmente culpabilizados à quem não os ocasionou”.

A Polícia Militar de Minas Gerais e a Federação Mineira de Futebol foram notificadas sobre a medida no mesmo dia.

Confrontos das organizadas

Parte das torcidas organizadas cruzeirenses costumam protagonizar confrontos, brigas e episódios de ataque a outros torcedores, e até mesmo a outras torcidas do Cruzeiro, com frequência. No dia 26 setembro, um ônibus com torcedores atleticanos foi atacado por integrantes da Máfia Azul, com pedras, pedaços de madeira e rojões.

Já no dia 21 de setembro, antes da partida do Cruzeiro contra o Flamengo pelo Campeonato Brasileiro, os integrantes da Máfia Azul brigaram com as torcidas Jovem, Pavilhão Independente e China Azul, na entrada do Mineirão. Quatro brigas ocorreram antes da partida e duas após o apito final. A ocorrência foi potencializada pelo fato de uma das torcidas, a Jovem, ser aliada de uma organizada do Flamengo.

Os confrontos de torcidas organizadas ocorrem desde muito tempo e dão trabalho para a polícia no estádio.

Deixe seu comentário

Etiquetas
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar