Take a fresh look at your lifestyle.

Veja quem são os 04 ministros já confirmados por Bolsonaro

Após a vitória do segundo turno da eleição presidencial no último domingo (28), cresce a expectativa sobre a provável composição da equipe de ministros que será definida por Jair Bolsonaro.

Durante o pronunciamento de sua vitória, Bolsonaro afirmou que já tem três nomes definidos: Paulo Guedes, Ministério da Fazenda, general Augusto Heleno, Ministério da Defesa, e Onyx Lorenzoni, como ministro-chefe da Casa Civil. O nome do astronauta brasileiro Marcos Pontes é um dos mais cotados para o Ministério da Ciência e Tecnologia. Bolsonaro citou o seu nome, dizendo que é “quase certo” que ele vá ocupar a pasta.

Outros nomes cotados para assumir alguma pasta no governo de Jair Bolsonaro são: Oswaldo de Jesus Ferreira, general da reserva, que pode assumir o Ministério da Infraestrutura;  Aléssio Ribeiro Souto, também general da reserva, que pode assumir a educação ou telecomunicações; Mendonça Filho, do DEM, ex-ministro da Educação de Michel Temer, também é um dos cotados a voltar a assumir a pasta.

No Ministério da Agricultura, ainda sem considerar uma fusão com o Ministério do Meio Ambiente, como propunha Bolsonaro no início da sua campanha, estão como supostos nomes assumir a pasta o atual secretário de Agricultura de Santa Caratina, Airton Spies; Frederico D’Avila, eleito deputado estadual pelo PSL de São Paulo; e Luiz Antônio Nabhan Garcia, presidente da União Democrática Ruralista (UDR).

Paulo Guedes

Paulo Guedes, apelidado de “Posto Ipiranga”, será o Ministro da Fazenda (Foto: reprodução/polemicaparaiba.com.br)

Paulo Guedes é carioca, tem 69 anos, é formado em economia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e com mestrado pela Universidade de Chicago. É conhecido no meio acadêmico, tendo lecionado na PUC-Rio e na Fundação Getúlio Vargas (FGV). Foi um dos fundadores, em 1983, do Banco Pactual.

Também foi sócio-fundador e diretor executivo da JGP Gestão de Recursos, onde era um dos responsáveis pela supervisão da gestão do Fundo JGP Hedge e pela estratégia das operações. Tornou-se membro do conselho diretor da PDG Realty Empreendimentos e Participações, da Abril Educação e da Localiza Rent a Car. Ajudou a fundar o Instituto Millenium, um centro de pensamento econômico, e também foi sócio-fundador do grupo financeiro BR Investimentos, que se tornaria parte da Bozano Investimento.

Onyx Lorenzoni

Onyx Lorenzoni será ministro da Casa Civil (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O deputado gaúcho Onyx Lorenzoni (DEM-RS) foi escolhido para a Casa Civil pelo trabalho de articulação legislativa desempenhado com sucesso no Congresso, meses antes do início da campanha, arregimentando maioria parlamentar de sustentação a Bolsonaro.

Onyx tem 64 anos, nascido em Porto Alegre, formado em medicina veterinária pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Está em seu quarto mandato como deputado federal, depois de exercer dois mandatos como deputado estadual.

No Congresso, Onyx  é apontado pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP) como um dos parlamentares mais influentes. Participou de 12 CPIs, com destaque para a dos Correios, e a da Petrobras. Em 2016, foi relator do projeto que transforma as 10 Medidas contra Corrupção, propostas pelo Ministério Público Federal (MPF), em lei.

General Augusto Heleno

General Augusto Heleno comandará o Ministério da Defesa (Foto: Arquivo/Agência Brasil)

O general Heleno tem 70 anos, é nascido em Curitiba e formado na Academia Militar das Agulhas Negras (Aman). É considerado uma das pessoas que gozam do maior prestígio e respeito por parte de Bolsonaro.

Heleno foi o primeiro comandante da Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (Minustah), de junho de 2004 a setembro de 2005. Antes disso, no início de sua carreira, foi primeiro colocado de sua turma de cavalaria na Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais (EsAO) e na Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (Eceme).

No posto de major, integrou a missão militar brasileira de instrução no Paraguai. Como coronel, comandou a Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx), em Campinas, e foi adido militar da Embaixada do Brasil em Paris, acreditado também em Bruxelas.

Como oficial-general, foi comandante da 5ª Brigada de Cavalaria Blindada e do Centro de Capacitação Física do Exército, chefe do Centro de Comunicação Social do Exército e do Gabinete do Comandante do Exército. O general também foi comandante militar da Amazônia.

Marcos Pontes

Marcos Pontes se tornou conhecido no brasil após ser o primeiro brasileiro a ir ao espaço (Foto: Marcos Pontes / Divulgação)

O tenente-coronel da Força Aérea Brasileira (FAB) Marcos Pontes tem 55 anos e é natural de Bauru (SP). Notabilizado como o primeiro astronauta brasileiro, que atingiu o espaço em março de 2006, à bordo de uma nave russa, após anos treinando na Nasa, irá comandar a pasta de Ciência e Tecnologia.

Formou-se no Colégio Liceu Noroeste, em Bauru em 1980. Em 1984, recebeu o bacharelado em tecnologia aeronáutica da Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga. Em 1989, iniciou o curso de engenharia aeronáutica no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), em São José dos Campos, recebendo o título de engenheiro em 1993. Em 1998, obteve o mestrado em engenharia de sistemas pela Naval Postgraduate School, em Monterrey, Califórnia.

Em junho de 1998, foi selecionado para o programa espacial da Nasa, para a candidatura a que o país tinha direito no programa espacial do governo americano, pelo fato de integrar o esforço multinacional de construção da Estação Espacial Internacional.

Iniciou o treinamento obrigatório em agosto daquele ano no Centro Espacial Lyndon Johnson, em Houston. Em dezembro de 2000, ao

concluir o curso, foi declarado oficialmente astronauta da Nasa.

Fonte: Agência Brasil

Close