“Um atentado grave contra o Brasil”, diz Bolsonaro sobre ação de hackers

PUBLICIDADE

Na quinta-feira (25), o presidente Jair Bolsonaro, por meio de sua conta no Twitter, afirmou que a ação dos hackers que invadiram seu telefone celular é “um atentado grave contra o Brasil e suas instituições”.

Segundo o Ministério da Justiça e Segurança Pública, o telefone celular de Bolsonaro foi alvo da ação do grupo suspeito de invadir cerca de mil linhas telefônicas, incluindo a de várias autoridades públicas, como o chefe da pasta, Sergio Moro.

Ainda em suas redes sociais, o presidente salientou que não trata de temas sensíveis, de interesse público ou de segurança nacional por celular.

Confira:

Em nota publicada à imprensa, o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) explicou que disponibiliza ao governo federal, por meio da Agência Brasileira de Inteligência, um terminal de comunicação seguro (TCS), com tecnologia da própria agência, cabendo às autoridades optar pelo equipamento e utilizá-lo conforme suas necessidades.

Ainda segundo o gabinete, o TCS é móvel, tem funções de chamada de voz, além de troca de mensagens e arquivos criptografados com algoritmos de Estado. Os dispositivos não permite a instalação de aplicativos comerciais.

Ataque de hackers expõe vulnerabilidade de segurança nacional

A ação criminosa de espionagem contra procuradores que trabalham na Operação Lava Jato e, sobretudo, contra o então juiz Sérgio Moro evidenciou a vulnerabilidade da segurança institucional brasileira.

Além disso, os ataques também expuseram a dificuldade do Brasil em se proteger contra ações de hackers, especialmente internacionais. Um aspecto que pode ser constatado é que o país ainda não possui instrumentos para lidar com o cyber warfare internacional.

O ministro Sergio Moro, em seu Twitter, disse que a Polícia Federal (PF) detectou uma vulnerabilidade que teria sido explorada pelos hackers para a invasão de aplicativos de conversas de autoridades. “A vulnerabilidade foi explorada por hackers criminosos e pessoas inescrupulosas”, publicou Moro.

Moro finalizou informando que as centenas de vítimas, sendo autoridades ou não, que foram alvo dos hackers detidos na última terça-feira (23) serão identificadas e comunicadas pela Polícia Federal ou pelo ministério da Justiça e Segurança Pública a respeito do crime.

*Com informações da Agência Brasil.

Deixe seu comentário
Participe gratuitamente do nosso grupo de notícias no Telegram -> ENTRAR.
você pode gostar também

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você continuar a navegar, vamos supor que você esteja bem com isso. Se você discorda, volta a navegar no site em outra oportunidade ACEITAR LER MAIS