Take a fresh look at your lifestyle.

“Voto no Zema”, por Gabriel Rodrigues

De um lado, temos um grande professor, Antônio Anastasia, do outro, um grande empresário, Romeu Zema. Um optou pelo serviço público desde a sua formação, o outro optou pelo setor privado. Um é gestor de Estado, o outro é gestor de negócios. Um entende de política, economia e serviços sociais, o outro compreende somente economia e quer colocar Minas à venda. Ambos têm suas qualidades e também seus defeitos, e são hoje, os candidatos ao Governo de Minas.

O Estado vem sofrendo com uma enorme crise moral, ética, financeira e social. Sem representatividade política no comando. O que aconteceu? Bom, não sou nenhum especialista no ramo, todavia não preciso ser tal, para compreender que diversos fatores influenciam na fragmentação de um legado, deixado por governos anteriores, em que o governo do PT – de Lula, Dilma, Haddad e Fernando Pimentel – é um dos principais potencializadores de todo o caos instaurado em Minas Gerais.

Entre aqueles dito acima, que deixaram um legado, está o professor Anastasia, que com sua humildade, já declarou por diversas vezes, reconhecer algumas falhas enquanto estava a frente do Governo. Diferente dos outros, peças chaves na derrocada de Minas, que alegam o tempo todo estarem sendo perseguidos pelos políticos, pela justiça e pelas instituições, como se fossem os donos da verdade. E o candidato Zema já afirmou, que se preciso for, vai atrás de Pimentel, do PT, para governar. Aliás, PT este, que ele já apoiou, sendo filiado ao PR por quase 20 anos.

Posto isso e acompanhando aos debates entre Anastasia e Zema (os que ele tem comparecido), é perceptível a diferença entre ambos no que diz respeito aos Planos de Governo, a sensibilidade, a competência, a coerência e ao preparo. Veja bem:

  • Enquanto Anastasia, com sua capacidade de gestão, experiência, coerência e seriedade propõe saídas consistentes e criativas embasadas inclusive nos erros que poderiam ter sido evitados em 2003 – quando este, enquanto servidor público, pôde contribuir com a implantação do ajuste fiscal capaz de reformular as políticas públicas, retornando para cada 5º dia útil do mês, o pagamento dos funcionários públicos; expandir o canteiro de obras por toda Minas e colocar os débitos completamente em dia – ou em 2013, com o Choque de Gestão, necessário para reduzir as despesas, enxugando a máquina pública outra vez;

 

  • Zema acha que a privatização, inclusive de serviços básicos essências à população, como da educação (UEMG, UNIMONTES), da saúde (JOÃO XXIII, FHEMIG) e de empresas públicas (CEMIG, COPASA, EMATER, BDMG), é a saída para solucionar os problemas de Minas. E não é! Minas não está à venda! O professor Anastasia já provou isso e tem sensibilidade para afirmar, com propriedade, que o caminho não é esse escolhido pelo Zema.

Mas cá pra nós, o Zema é um grande negociador né?! Milionário… sua campanha vem recebendo recursos de grandes empresários (o dono da Localiza, por exemplo, está aí para confirmar). Ele tem o pensamento empreendedor, do NOVO, de empresário. O lucro vem em primeiro lugar. Tá corretíssimo! Tem que privatizar tudo mesmo, Zema. Saúde pública? SUS??? Educação de graça? Assistencialismo social? Ajuda ao homem do campo? Pra quê? PRIVATIZA TUDO, ZEMA!, conforme está em seu plano de governo que está sempre sendo modificado.

Além de errático, vejo no Zema um candidato oportunista, despreparado e tendencioso, que quando argumentado sobre seu Plano de Governo, mostra-se ter ideias inconsistentes cabíveis de “alteração” (somente para não perder votos) a todo momento. Pra ele o Estado deve ser o mínimo do mínimo. Tudo deve ser privatizado, inclusive os serviços que dizem respeito à saúde, educação e assistência social. Lamentável! Cuidado, pessoal, com o NOVO, partido de milionários e com integrantes da famosa velha política na equipe de Governo, inclusive o candidato a vice, o que não seria permitido de acordo com o estatuto partidário de “renovação sem conchavos políticos”. Quem admitiu ir atrás de Pimentel caso “necessite”? Anastasia não foi!

Voto no Zema pra quê? Minas precisa de uma pessoa que tenha a conversa simples, olho no olho, com sinceridade, seriedade e sem contradições, sabe o que fala e não precisa retificar Plano de Governo para conquistar votos. Minas precisa de um cidadão honesto, ilibado, competente e de caráter, que já geriu nosso Estado, comprovando que da conta do recado com sua experiência e capacidade, para corrigir as mazelas causadas pelo PT também em nossa Minas Gerais. No dia 28 de Outubro, vamos juntos, professor Anastasia 45, um Gestor de Verdade para Reconstruir Minas. Gente, a renovação é necessária, mas as coisas não funcionam bem assim, Anastasia fez um excelente governo lá trás e faz parte da Boa Política!!!!!!!!!!!!