Prefeitura de Uberlândia oferece consulta virtual para pessoas com suspeita de Covid-19

Com o compromisso de evitar a transmissão do novo Coronavírus (Covid-19) e facilitar o acesso da população a informações confiáveis, a Prefeitura de Uberlândia disponibiliza mais uma ferramenta para facilitar a vida do cidadão. A partir das 14h desta sexta-feira (27), as pessoas que estão com sintomas suspeitos da Covid-19 podem receber mais informações sobre a doença e atendimento médico por meio de uma consulta virtual pelo “Zap da Prefeitura”, que funciona no número (34) 9.9774-0616.

“Precisamos evitar aglomeração de pessoas, especialmente nas unidades de saúde de saúde. Estamos vivendo um momento delicado e contamos com a compreensão de todos para nos ajudar na batalha contra esse novo vírus. O atendimento virtual será feito por médicos da nossa rede. Assim, criamos uma maneira de facilitar o acesso à informação, esclarecendo as dúvidas do nosso povo e permitindo um contato direto com uma equipe médica”, explicou o prefeito Odelmo Leão.

Como funciona

Foram incluídas três novas opções ao menu de atendimento do “Zap da Prefeitura”. Duas delas são dedicadas às pessoas que desejam ter acesso a informações sobre a Covid-19, como, por exemplo, os sintomas, formas de transmissão, as recomendações do Ministério da Saúde e dados atualizados.

Na outra, o munícipe solicita a consulta virtual. O primeiro passo é informar o nome completo, CPF, data de nascimento e o bairro onde mora. Em seguida, para fazer a triagem, o paciente deve responder a três perguntas: se está ou não com febre, se possui sintomas de gripe e se apresenta falta de ar.

A partir destas respostas, os pacientes são classificados e encaminhados para um fila de atendimento médico virtual. Durante o contato com o médico, é possível que profissional e paciente troquem fotos, vídeos e áudios para facilitar a comunicação.

O atendimento ficará disponível de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 18h. A equipe médica é composta por dez profissionais da rede, que fazem parte do grupo de risco do coronavírus e precisaram ser afastados de suas atividades presenciais.

LEIA MAIS