De Minas a Marte: conheça o mineiro que faz parte da missão da NASA em Marte

Na última quinta-feira (30), a National Aeronautics and Space Administration (NASA), agência espacial dos Estados Unidos, lançou sua missão mais ambiciosa ao Planeta Vermelho. O robô não-tripulado “Perseverance” (Perseverança, em português) está programado para pousar em Marte em fevereiro de 2021 e tem como missão buscar de vestígios de vida em Marte.

O objetivo é usar amostras de rochas para descobrir quando Marte poderia ter condições ideais para microorganismos. Na busca por vestígios de vida, ele dá um passo decisivo além das missões anteriores. Para esse fim, ele irá, por exemplo, coletar amostras pela primeira vez, que uma missão posterior deverá trazer à Terra para análises mais precisas. E é claro que “Perseverance” deve coletar informações que serão úteis para futuras missões tripuladas em Marte.

PERSEVERANCE

À primeira vista, o veículo espacial “Perseverance” de Marte é muito semelhante ao seu antecessor de três metros de comprimento, o “Curiosity”. Mas o atual é ainda 13 centímetros mais longo e mais pesado, com 1.025 kg.

Outra característica especial: o veículo espacial tem o helicóptero “Ingenuity” a bordo, um drone de 1,8 kg que pode realizar vôos de até um minuto e meio de forma totalmente automática. É tudo menos fácil em Marte. Porque a atmosfera é fina e corresponde a apenas um por cento da densidade atmosférica na Terra.

UM MINEIRO NA EQUIPE

Compondo o time de profissionais que faz parte dessa missão está o mineiro Ivair Gontijo. Ele nasceu em Moema, no interior de Minas Gerais. Filho de uma família numerosa, viu uma televisão pela primeira vez em 1969, durante a transmissão da chegada do homem à Lua. Esse fato marcaria a sua vida e serviria de inspiração ao longo de toda a sua carreira.

Depois de se formar num colégio agrícola, foi trabalhar na Fazenda Água Branca, que ficava a 100km da cidade mais próxima e não tinha luz elétrica. Viveu alguns anos isolado como um astronauta no espaço.

A despeito do ceticismo dos colegas da fazenda, pediu demissão e se matriculou num cursinho pré-vestibular. Queria estudar física na UFMG, a Universidade Federal de Minas Gerais. Passou, se formou e logo entrou para o mestrado em óptica na mesma instituição.

A partir daí, construiu uma promissora carreira acadêmica. Fez o doutorado em optoeletrônica no departamento de engenharia elétrica da Universidade de Glasgow, na Escócia, e dois pós-docs: um na Universidade Heriot-Watt, em Edimburgo, e outro na UCLA, a Universidade da Califórnia em Los Angeles. (FONTE: Editora Sextante).

IVAIR NA NASA

Ele trabalha no Jet Propulsion Laboratory (Laboratório de Propulsão a Jato, em português), em Pasadena, Califórnia. Especialista em optoeletrônica em laser, começou a trabalhar na NASA desenvolvendo processos para lasers. Logo ele foi chamado para liderar um grupo que trabalharia na construção de transmissores e receptores de um radar que controlaria a descida do veículo “Curiosity”. O lançamento do veículo ocorreu em 26 de novembro de 2011.

ESCRITOR

Ivair Gontijo também é escritor e um escritor premiado. Ele venceu em 1º lugar na categoria Ciências a 61ª edição do Prêmio Jabuti, maior honraria da literatura brasileira, em 2019, com o seu livro “A caminho de Marte: a incrível jornada de um cientista brasileiro até a NASA”, lançado em 2018 pela Editora Sextante.

Assista o vídeo em que Ivair fala sobre seu livro ao canal da Editora Sextante noi YouTube:

Ciência e tecnologia podem ser mais emocionantes do que um gol em final de Copa do Mundo.” — Ivair Gontijo

Comentários