19.5 C
Belo Horizonte
quarta-feira, 28 setembro 2022

O futuro dos campeonatos estaduais

Veja quais são os principais problemas que os campeonatos estaduais possuem que podem causar o seu fim
Portal Mais MinasFutebolAtléticoPresidente do Atlético muda de ideia e decide não fazer clássicos com torcida dividida no Mineirão

Presidente do Atlético muda de ideia e decide não fazer clássicos com torcida dividida no Mineirão

O Presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara, mudou de ideia, e anunciou na noite da última segunda-feira (09/04), que o time alvinegro não vai fazer clássicos contra o rival Cruzeiro com torcida dividida no Mineirão. A proposta era válida para ter início nas partidas do Campeonato Brasileiro, relembre aqui.  .
Sérgio Sette Câmara anunciou a decisão durante evento de entrega do Troféu Globo Minas, realizado anualmente pela TV Globo, com o intuito de premiar os destaques do Campeonato Mineiro. Segundo ele, o principal motivo da desistência do Atlético, foi em consequência do tratamento que o time do Galo recebeu no Mineirão.
“Esquece! Mineirão não tem condição de fazer jogo de torcida dividida. É oficial. Eles não têm condição, eles não têm preparo, não têm organização, não têm competência. E o Cruzeiro, como mandante, não sabe receber”, reclamou Sette Câmara em entrevista ao globoesporte.com.
“Eles não deram credenciamento para pessoas do meu corpo técnico, para massagista, fisiologista, seguranças… não deram credencial para estacionamento. Não deram nada! Mineirão faz o que o Cruzeiro manda. É por essas e por outras é que sobre torcida dividida… esquece! Eles vão jogar lá no nosso estádio novo, daqui a três anos”, finalizou.
Pelo direito de resposta, o globoesporte.com também ouviu o presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá, que disse lamentar a decisão tomada pelo mandatário atleticano.
“O próprio Sérgio tinha sugerido que fizéssemos o clássico com o Mineirão meio a meio. Eu aceitei prontamente, porque já era favorável ao espetáculo com as duas torcidas. O nosso clássico daqui é isso. Agora ele já me comunicou que não quer mais. A gente lamenta, mas paciência, é a vontade dele”, afirmou Pires de Sá, que também comentou sobre os problemas de credenciais citados por Sette Câmara.
“Eles estão reclamando do número de credenciais, mas não procede. O número que eles receberam de credenciais é o mesmo que nós recebemos no jogo de ontem. Não tem motivo pra reclamar. Eu acho que eles queriam um total de 200 credenciais, mas o próprio Mineirão disse que não teria como”, revelou o presidente do Cruzeiro ainda em entrevista ao globoesporte.com.
O site também divulgou o posicionamento dos administradores do estádio sobre o ocorrido, que afirmou ter avisado de forma antecipada sobre o número de credenciais que seriam disponibilizadas.
“O Mineirão lamenta as reclamações do Atlético e esclarece que foram credenciados 74 profissionais do clube para a partida desse domingo, incluindo diretoria, segurança, operações e profissionais do futebol e imprensa. Também foram disponibilizadas 20 credenciais de estacionamento e acesso especial para vans com convidados do clube. Essas informações fazem parte da preparação dos jogos e foram repassadas com antecedência ao clube”, explicou a Minas Arena, empresa que administra o Mineirão, em entrevista ao globoesporte.com.
Após também ser procurada pela equipe do globoesporte.com, a Federação Mineira de Futebol (FMF) se pronunciou sobre o assunto e, segundo o site, a entidade respondeu com a seguinte nota:
“A Federação Mineira de Futebol entregou, a ambas as equipes, 150 (cento e cinquenta) credenciais para seus convidados acessarem o campo, em caso de título, após a saída da equipe perdedora. Entretanto, antes que houvesse a liberação do gramado, credenciados e não credenciados pressionaram pelo acesso, ultrapassando as grades existentes no local, mesmo diante da orientação dos seguranças da Minas Arena e dos funcionários da Federação, o que ocasionou o tumulto”.
Leia também:

Você pode gostar também:

RECENTES

Veja também sobre: