Saiba quais os benefícios do exercício físico no controle da ansiedade

No ano de 2019, a Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou dados em que foi confirmado que o Brasil é o país com mais pessoas ansiosas do mundo. São 18,6 milhões de indivíduos que sofrem com esse transtorno, o que corresponde a quase 10% da população brasileira. Considerando que o isolamento social é uma das variáveis que potencializam essa condição, é possível que essa porcentagem tenha aumentado nos últimos meses.

Caracterizado por preocupação excessiva, incerteza e sentimentos de medo em relação ao futuro, o transtorno de ansiedade generalizado vem sendo uma das principais queixas nesse período de pandemia. Além das mudanças repentinas e estresses induzidos por esse momento, é possível notar uma considerável mudança nos hábitos.

Má alimentação, baixa qualidade do sono, diminuição das relações interpessoais, sedentarismo e outros, são algumas das principais questões relatadas.

Quando associamos esses efeitos, nosso cérebro é afetado negativamente, e a produção dos principais neurotransmissores, que são relacionados à nossa boa saúde mental, é reduzida. Com essa redução, passamos a ser menos capazes de nos concentrarmos no hoje, nos atentando demasiadamente aos problemas.

Uma das formas para combater esse quadro, é com a prática regular de exercícios físicos. Quando estamos ativos, nossa prática diária é responsável pelo aumento da produção de alguns neurotransmissores e neuro hormônios ligados a boa função do nosso cérebro. Podemos citar, por exemplo, a dopamina, serotonina, endorfina e a anandamida. O interessante é que com essa produção aumentada, temos a redução dos níveis de cortisol e da atividade da amígdala, que é associada com os sentimentos de medo, raiva e preocupação. O exercício físico para esses casos funciona perfeitamente para que haja uma mudança de foco. O intuito é que seja treinado não apenas o seu corpo, mas a sua capacidade de se concentrar no presente.

Procure um professor de educação física habilitado para auxiliar na organização dos seus treinos e na mudança de seus hábitos. É importante lembrar que em casos graves, é necessária a procura de um especialista e recomendações médicas.

Comentários