O que você procura?
Renova banner


Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item

Com nova cheia do Rio Pomba, 46 pessoas ficaram desabrigadas e 200 desalojadas em Cataguases

Rodolpho Bohrer 5 de março de 2020 às 20:30
Tempo de leitura
3 min

Após uma nova cheia do Rio Pomba, em Cataguases, 46 pessoas ficaram desabrigadas e 200 desalojadas, nesta quinta-feira (5). De acordo com a medição da Defesa Civil, o nível do rio alcançou 7,51 metros, sendo que o seu limite é de 5,5 metros.

Diversas ruas foram alagadas, já que o Rio Pomba corta toda a cidade de Cataguases, inclusive, as vias centrais e de acesso ao município também foram cobertas pela água do rio, o que causou no fechamento precoce do comércio e a suspensão das aulas nas escolas públicas.


Segundo a assessoria de comunicação da prefeitura municipal, o principal acesso da cidade, realizado pelo Bairro Vila Minalda, permanece interditado e sem previsão de liberação para o tráfego de veículos.

A Defesa Civil emitiu um alerta pedindo que a população transite pelas ruas só em caso de extrema necessidade, principalmente com veículos, para facilitar o socorro de vítimas e de o do auxílio para a retirada de móveis de casas.

Gabinete de crise

Com toda a dificuldade que Cataguases passa devido às chuvas, a prefeitura municipal decidiu instalar um gabinete de crise por tempo indeterminado.

Segundo o prefeito Willian Lobo (PSDB), essa foi a terceira enchente de grande porte em menos de dois meses em Cataguases, devido ao volume de chuvas que caiu na região em que o Rio Pomba atravessa.

Mortes por chuvas confirmadas em Minas Gerais

O período de chuvas parece não dar trégua ao cidadão mineiro, o início de 2020 tem sido de diversas ocorrências quanto à desabamentos, alagamentos e desalojamentos, além de óbitos.

O Tenente Coronel Flávio Godinho, da Defesa Civil, confirmou 61 vítimas fatais em Minas Gerais, até janeiro deste ano. E ainda, no boletim sobre os municípios que estão em estado de emergência consta que 213 cidades se encontram em graves condições com o período chuvoso.

Os municípios de Catas Altas, Ibirité, Muriaé, Orizânia e Taparuba já decretaram situação de calamidade pública até então.

Em todo o estado, o número de pessoas desabrigadas é de 16.011. Já a quantidade desalojados é de 3.103, somatizando aos óbitos, o número de afetados pelas chuvas no estado de Minas Gerais é de 19.174 pessoas.

Veja também: Período de chuvas piora situação de barragens com risco de rompimento em Minas Gerais

Inscreva-se no nosso boletim informativo

Inscreva-se para receber as principais notícias veiculadas no nosso site em sua caixa de entrada, uma vez por dia.

Não fazemos spam! Leia nossa política de privacidade para mais informações.

ATENÇÃO: Ao copiar uma matéria do Mais Minas, ou parte dela, não se esqueça de incluir o link para a notícia original.

Última atualização em 14 de setembro de 2021 às 15:20