Asas & Poesias

Alma e Reflexo – Coluna Asas & Poesias

Conheço os limites de mim
Ou nem mesmo isso.
Já desconheço minha alma,
Pois ela parece ter vida própria,
E sempre está diante de um amor
No qual eu tenho dificuldade
Para compreender e vivenciar.

Constantemente, percebo-a
Como uma linha que não
Desgruda da minha imagem,
E seu reflexo vem a ser
A face no qual fui moldado.

Será que é bom tudo o que penso?
Será conveniente ter este tipo de ideia
Com sentimentos molhados de tal maneira,
Que quando vejo, tenho a nítida impressão
De estar enxergando a poesia em sua docilidade.

Movo-me o tempo inteiro, me agito por ansiedade!
Na imensidão do universo, a linguagem traduz
Um pouco dos meus verdadeiros anseios.

Quem escreve nunca deixa de dizer algo
No qual é de sua inteireza.
Aqueles que leem os escritos,
Notam a realidade escondida
Sobre um véu de multicores.
Até pelo fato de que cada um
Dá aos textos a sua interpretação.

Lembro-me agora de quando eu era criança,
E como brincava criando cenários.
Realmente, o meu espírito ainda é uma luz.

Uma luz a brilhar em espaços e mostrar encanto.

 Dê a sua verdadeira visão sobre a poesia?

 Conte-me: [email protected]

Leia também: Mistério da Rosa

Facebook Comments

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios