O que você procura?


Quem te disse pra comer por dois?

Certamente você já ouviu alguém dizer para uma gestante que grávidas precisam comer por dois. Esse é um dos principais mitos a respeito da gestação.

Franciele Santana 11 de maio de 2021 às 18:40
Tempo de leitura
2 min
Foto: Biblioteca de Imagens do Canva
Foto: Biblioteca de Imagens do Canva

Certamente você já ouviu alguém dizer para uma gestante que grávidas precisam comer por dois. Esse é um dos principais mitos a respeito da gestação.

Quando a mulher seguia uma dieta restritiva no período anterior à gravidez pode ser que seja necessário o aumento da ingestão alimentar, no entanto, não se pode dizer que a quantidade de alimentos consumidos precisa ser dobrada, mas sim ajustada adequadamente, conforme o período gestacional e as necessidades nutricionais da gestante e do bebê.

É importante lembrar que aumentar excessivamente a ingestão alimentar pode fazer com que a gestante ganhe mais peso do que o recomendado, o que resulta em riscos tanto pra ela quanto para o bebê.

LEIA TAMBÉM:  Feijão ou fuzil?

De modo geral, recomenda-se que, sobretudo durante a gestação, a mulher tenha uma alimentação balanceada e saudável, dando preferência para alimentos frescos e evitando o consumo de processados ou industrializados. O ideal é que se tenha um cardápio variado, com representantes de todos os grupos alimentares (carnes, ovos, laticínios, oleaginosas, frutas, legumes, verduras e etc), sem esquecer-se de manter uma boa hidratação.

É imprescindível que os sinais de fome e saciedade sejam respeitados, pois passar demasiado tempo sem se alimentar resulta em baixa energia, o que pode causar sintomas como enjoo, tonteiras, até mesmo desmaios. Por outro lado, comer excessivamente pode causar azia ou dor de estomago.

A gestação é um período de muitas dúvidas e mudanças, portanto, as informações divulgadas precisam ser embasadas cientificamente, porém de forma simples, afim de possibilitar que a gestante e todos do seu convívio absorvam e apliquem os conhecimentos para garantir o desenvolvimento adequado do bebê, de maneira que também seja saudável para a mãe.

LEIA TAMBÉM:  O famigerado borborigmo

* Esse texto é um artigo de opinião do colunista e pode não representar à posição do portal Mais Minas sobre o assunto.

Última atualização em 3 de setembro de 2021 às 18:46