O que você procura?

Realização do carnaval em Congonhas será avaliada até o fim de dezembro

O prefeito de Congonhas considera que ainda não há segurança o suficiente para definir ou não a realização do carnaval no próximo ano.
Rômulo Soares 29 de novembro de 2021 às 15:08
Tempo de leitura
4 min
Foto: Facebook / Prefeitura de Congonhas
Foto: Facebook / Prefeitura de Congonhas

Um dos temas que mais têm chamado a atenção na região central de Minas Gerais é a realização ou não do carnaval nas cidades em 2022. Algumas já definiram que não haverá o evento no ano que vem, como em Conselheiro Lafaiete. Outras estão avaliando o cenário de segurança por conta da Covid-19, como Ouro Preto. O prefeito de Congonhas, Cláudio Dinho (MDB), portanto, fez um pronunciamento sobre a possibilidade de realizar a festa carnavalesca na cidade de forma oficial ou não.

De acordo com o prefeito, Congonhas também está dentro do cenário de indefinição e disse que a situação será avaliada pela administração municipal até o fim do mês de dezembro.


“Nesse momento eu quero esclarecer aos nossos cidadãos e pessoas interessadas sobre o tema que não há nenhuma definição a respeito se terá o carnaval formal ou não no ano que vem. Nós estamos fazendo estudos, acompanhando tendências e vamos analisar isso muito provavelmente até os últimos dias do mês de dezembro”, disse Cláudio Zinho.

O prefeito de Congonhas considera que ainda não há segurança o suficiente para definir ou não a realização do carnaval no próximo ano, mas que seguirá as tendências nacionais e recomendações sanitárias emitidas pelos órgãos especializados.

“Algumas recomendações sanitárias já foram emitidas por órgãos como a Fiocruz, Secretaria de Estado, comitês, no sentido de que poder, pode, mas caberá a cada um de nós admitir qual o risco estamos dispostos a assumir. Nesse aspecto, Congonhas pode vir a ter o carnaval de forma doméstica, menos comprometedora, desde que o cenário a ser vivido daqui para frente mostre uma segurança nesse aspecto”, relatou o prefeito.

No último sábado, 27 de novembro, Congonhas atingiu a marca de 30 dias sem registrar óbitos por Covid-19. O Boletim Epidemiológico da cidade divulgada nesse fim de semana mostrou que não houve confirmações da doença em 24h, mas já foram 8.554 casos do novo coronavírus confirmados na cidade, sendo 8.426 recuperados, 110 mortes e 10 leitos clínicos ocupados para o tratamento de pacientes positivados para o vírus.

O “vacinômetro” da Secretaria de Estado de Saúde mostra 47.828 vacinas contra a Covid-19 de primeira dose aplicadas em Congonhas, 41.140 da segunda, 1.659 da terceira e 5.418 imunizantes de reforço. Portanto, 88% da população da cidade está parcialmente imunizada contra a doença e 78,8% recebeu a imunização completa.

Congonhas está na Onda Verde do plano Minas Consciente, o que permite a realização de eventos dentro dos protocolos definidos pelo Governo Estadual.

Veja o pronunciamento do prefeito de Congonhas na íntegra:

Considerando que os preparativos de Natal e Ano Novo já estão em andamento, a gente tem observado muitas especulações a respeito do planejamento do carnaval 2022. É um momento que, conforme eu disse à equipe que estaria planejando o evento caso o cenário seja positivo, nós não temos nenhuma certeza de que faremos nem de que não faremos (o carnaval). Há uma tendência sendo construída no Brasil atualmente de vários estados, capitais e cidades que têm um protagonismo no carnaval, de abrir mão, outros insistindo em fazer e Congonhas está dentro do grupo que ainda não definiu. Então, entendemos que ainda não há segurança sanitária para definir que nós estamos totalmente sem risco de fazer um carnaval e piorar a taxa de transmissão e ocorrência da Covid-19. Nesse aspecto, eu recomendei prudência no sentido de definir o carnaval neste momento. Nós deveremos continuar observando as tendências que vão acontecer no Brasil. Algumas recomendações sanitárias já foram emitidas por órgãos como a Fiocruz, Secretaria de Estado, comitês, no sentido de que poder, pode, mas caberá a cada um de nós admitir qual o risco estamos dispostos a assumir. Nesse aspecto, Congonhas pode vir a ter o carnaval de forma doméstica, menos comprometedora, desde que o cenário a ser vivido daqui para frente mostre uma segurança nesse aspecto. Nesse momento eu quero, então, esclarecer aos nossos cidadãos e pessoas interessadas sobre o tema que não há nenhuma definição a respeito se terá o carnaval formal ou não no ano que vem. Nós estamos fazendo estudos, acompanhando tendências e vamos analisar isso muito provavelmente até os últimos dias do mês de dezembro.

ATENÇÃO: Ao copiar uma matéria do Mais Minas, ou parte dela, não se esqueça de incluir o link para a notícia original.