Alimentação responsável e a importância de se evitar impactos na saúde e no meio ambiente

O consumo de frituras é cada vez menos recomendado, no entanto não se pode negar que esse método de cocção continua sendo bastante utilizado; dessa forma, é importante que sejam tomados alguns cuidados, a fim de que os malefícios sejam os menores possíveis.

 O óleo utilizado para fritar os alimentos não deve ser reaproveitado porque sua reutilização aumenta consideravelmente os níveis de acroleína, uma substância que aumenta o risco de doenças como irritação do intestino e câncer. Além disso, quanto mais o óleo for reaproveitado maior será a absorção de gordura pelo alimento, o que torna a fritura ainda menos saudável. No geral recomenda-se que o óleo seja reutilizado no máximo duas vezes e que no intervalo entre as frituras esse óleo seja acondicionado na geladeira, visto que a temperatura baixa diminui a sua degradação e consequentemente a formação de compostos indesejáveis, como a acroleína.

Para detectar o momento em que o óleo deve ser descartado,  basta que se atente a alguns sinais que podem ser facilmente observados:

  • Formação de espuma ou fumaça durante a fritura;
  • Escurecimento intenso da coloração do óleo ou do alimento;
  • Cheiro e sabor estranhos do óleo ou do alimento frito.

O descarte do resíduo do óleo de cozinha é motivo de grande preocupação, devido ao fato deste muitas vezes acabar sendo jogado no lixo comum, o que contribui para a poluição do solo e das águas, ou despejado em pias ou vasos sanitários, indo parar nos sistemas de esgoto causando danos, como entupimento dos canos, bem como o encarecimento dos processos de tratamento, além de contribuir para a poluição do meio aquático.

O óleo de cozinha usado, quando devidamente armazenado e descartado pode servir como matéria-prima na fabricação de diversos produtos, tais como biodiesel, tintas, óleos para engrenagens, sabão, detergentes, entre outros.

Para que o óleo vegetal usado possa ser utilizado como matéria-prima é preciso que haja um armazenamento e coleta adequados. É recomendável que o acondicionamento do óleo seja feito em embalagens com capacidades entre 500 ml a 2 litros, no caso das habitações, e de 20 a 50 litros nos pontos comerciais; após atingir o determinado volume a coleta é feita por empresas especializadas ou pode-se encaminhar o óleo armazenado para pessoas ou associações que façam a reciclagem do produto.

A possibilidade mais concreta e que pode ser feita de forma caseira para evitar o descarte do óleo usado em frituras na natureza é reaproveitá-lo fazendo sabão, visto que trata-se de um processo simples de produção que favorece a economia domiciliar podendo até mesmo gerar renda com a comercialização dos produtos.

Não descartar o óleo em fontes de água, na rede de esgoto ou no solo é uma questão de responsabilidade social. Ter uma alimentação saudável, muito além de evitar o consumo de frituras, inclui não causar prejuízos ao meio ambiente. Quando preparar alimentos grelhados ou assados não for uma opção possível, é essencial que ao menos o óleo utilizado na fritura seja reciclado, a fim de que não se torne um agressor ambiental.

Comentários