O que você procura?


Você tem certeza de que está com fome?

Franciele Santana 24 de setembro de 2021 às 19:49
Tempo de leitura
3 min
Foto: Biblioteca de imagens do Canva
Foto: Biblioteca de imagens do Canva
Nutricionista, natural de Ouro Preto/MG, e uma admiradora da arte da escrita, almejo proporcionar saúde compartilhando meus conhecimentos de modo a agregar melhorias na vida do maior número de pessoas possível.

Muito provavelmente, você já sentiu fome pouco tempo depois de ter feito uma refeição em que se sentia satisfeito, ou conhece alguém que afirma sentir fome constantemente. Isso não necessariamente tem a ver com gula ou compulsão alimentar.

A fome e a sede são sensações que atuam como sinais de alerta para o nosso organismo, de déficit de energia ou desidratação. O hipotálamo é a zona do cérebro responsável por controlar funções orgânicas e sensações relacionadas à fome/ saciedade, libido, equilíbrio térmico, metabolismo, circulação e mecanismos do sono. Como essas sensações são geradas pela mesma região do cérebro pode ocorrer uma certa confusão entre as sensações de fome ou sede, e assim muitas pessoas acabam comendo mais do que deveriam, sem perceber que na verdade estavam com sede.

As sensações de sede e de fome podem provocar uma confusão no hipotálamo pelo fato de que uma das maneiras do organismo conseguir água é por meio dos alimentos. Desse modo, o cérebro confunde os impulsos, como se precisasse comer para saciar a sede, então surge a sensação de fome numa tentativa de preservar as pequenas porções líquidas a serem recebidas na alimentação.

O ideal é que se tenha o hábito de ingerir água mesmo sem sentir sede, pois a sede já é um sinal de que o corpo está desidratado. E caso haja dúvida se o que sente é fome ou sede, consuma um copo de água e espere alguns minutos e então avalie se a sensação de fome desaparece, dessa forma evita-se que ocorra a confusão entre as sensações.

A ingestão de líquidos deve acontecer de forma gradual, ao longo do dia, além disso, é essencial preferirmos por frutas e vegetais in natura, em vez de alimentos desidratados e industrializados, pois assim pode-se garantir um melhor aporte hídrico.

Lembre-se sempre de evitar o déficit hídrico e fracionar as refeições (5 a 6 vezes por dia), mantendo horários regulares para se alimentar. A ingestão regular de água ajuda a reduzir a fome, ao passo que envia sinais de saciedade ao cérebro. Entenda os sinais que seu corpo dá e não seja mais vítima das possíveis confusões que prejudicam o bom andamento de qualquer dieta.

* Esse texto é um artigo de opinião do colunista e pode não representar à posição do portal Mais Minas sobre o assunto.

Última atualização em 28 de setembro de 2021 às 23:38