Dicas e brincadeiras para entreter as crianças em casa nesta quarentena

Olá, como vocês estão?

No último post eu trouxe dicas da Psicóloga Roseane Mendonça para os pais que estão trabalhando em casa e que tem ao mesmo tempo que cuidar dos filhos. Se você não viu, sugiro que comece sua leitura por este post.

Como um seguimento do post anterior, vamos trazer algumas sugestões de atividades para entreter os pequenos em casa, neste período em que muitos de nós segue em isolamento.

Roseane, obrigada mais uma vez por contribuir conosco aqui no Mais Minas. Você poderia deixar sugestões de atividades, brincadeiras e jogos que os pais podem propor às crianças neste momento de quarentena?

Como abordamos no último post, a situação de isolamento social, decorrente da necessidade de prevenção da Covid-19, tem também gerado impacto na vida de crianças e adolescentes, com consequências em sua saúde mental. Houve uma repentina perda nas suas rotinas, restrição de sua liberdade e socialização.

A principal dica aqui é a importância em oferecer oportunidades variadas em diversos tipos de brincadeiras e atividades. Precisamos propor momentos de movimento, brincadeiras com o corpo, como aquelas da nossa infância, que podem ser adaptadas para dentro de casa, como corre-cutia, pique esconde, “campeonatos” de pular de um pé só, com os dois pés, pequenos circuitos e até mesmo atividades físicas estruturadas que já eram parte da rotina das crianças e que possam ser adaptadas ao isolamento social. Tais atividades são importantes ao desenvolvimento motor, psicomotor, de habilidades básicas ao acadêmico, entre outras.

Também são necessárias atividades de responsabilidades, que são muito importante no desenvolvimento de funções executivas, como preparar um lanche, recolher sua própria louça, recolher os brinquedos, tomar banho, escovar dentes, ajudar em tarefas domésticas adequadas à idade. Aqui também podemos incluir pequenos projetos de criação, como construção de brinquedos a partir de materiais de reciclagem, projetos baseados em leitura de literatura adequada à idade, como pequenos teatros, desenhos e pinturas, etc.

Momentos de jogos coletivos, em períodos determinados durante o processo de construção da rotina, como jogos de tabuleiro, uno, jogos de baralho, batalha naval, jogo dos pontinhos, entre outras possibilidades.

Atividades lúdicas como ver um filme juntos com pipoca, brincar juntos, cuidar de plantinhas, dançar, contar histórias, dormir em uma cabaninha feita de lençóis e cobertores pode estimular a qualidade da relação entre adultos e crianças bem como a criatividade.

Pode-se também mencionar algumas práticas meditativas e de respiração, que visam trazer maior atenção e conexão com si mesmo, maior autoconhecimento e das próprias emoções, como exercícios de meditação e mindfulness. Na internet podemos encontrar exemplos de meditações guiadas, por exemplo. Também podemos realizar essas atividades juntos das crianças e adolescentes, buscando maior conexão com as nossas necessidades internas. Pesquisas apontam muitos benefícios da prática, tanto para nossa saúde mental, como prevenção da depressão, como também ampliação da concentração e outros processos atencionais e do desenvolvimento cognitivo de uma forma geral.

E, para terminar, é importante dizer que nesse processo podem haver momentos de frustração. E, a nós adultos, é importante lembrar que esses momentos também devem ser interpretados como positivos, pois nos momentos de desafios são construídas habilidades importantes (tanto para as crianças quanto para os adultos). Devemos validar as emoções, mesmo quando nos parecerem desreguladas e evitarmos frases do tipo “não chore”, “não fique triste”. Nestes momentos, o ideal é ouvirmos e acolhermos. Se necessário, falar de forma respeitosa que conversaremos melhor em momento posterior. Assim, poderemos sair desse período mais resilientes e com a atenção mais voltada a nossas reais necessidades enquanto pessoas, difundindo carinho e desfrutando momentos de qualidade.

(Roseane Mendonça é Psicóloga Clínica e Escolar, Doutora em Psicologia pela UFJF. Atende crianças e adolescentes na abordagem da Terapia Cognitiva-Comportamental e faz orientação de pais em Belo Horizonte e Juiz de Fora-MG – por ora, dado o contexto do coronavírus, todos os atendimentos são realizados exclusivamente online. Contatos: (32)99989-4255 ou por e-mail [email protected]).

Espero muito que estas orientações e sugestões sejam úteis! Se restar alguma dúvida, mande um email que eu e Roseane tentaremos esclarecer, ok?

Dias leves e de muitas brincadeiras para todos nós! Vamos passar por isto!

 

Vanessa Barreto Fassheber – CRP 04/24259

Psicóloga, Especialista em Saúde Mental, Educação em Saúde e Mestre em Ciências da Saúde

Procuro trazer um novo significado para as vivências e emoções do passado, buscando o bem estar no momento presente.

Instagram: @vanessafassheber
E-mail: [email protected]

Comentários