Fibromialgia: Nutrir o corpo para suprimir a dor

0

A Fibromialgia é definida como uma síndrome dolorosa crônica e não inflamatória. Os principais sintomas são manifestados no sistema musculoesquelético, podendo se manifestar também em outros sistemas orgânicos, sendo a dor a característica principal da doença. Além da dor, podem estar presentes sintomas como fadiga, distúrbios do sono e do humor, sendo comumente observado o desenvolvimento de depressão.

Entre as causas da fibromialgia especula-se o envolvimento de fatores genéticos, neuroendócrinos e psicológicos.

O diagnóstico da fibromialgia deve ser confirmado logo ao início do tratamento, a fim de elucidar ao paciente as informações básicas sobre a fibromialgia e as maneiras como a doença pode impactar em sua qualidade de vida, bem como apresentar as opções de tratamento.

O tratamento deve ser pensado conforme o quadro do paciente, levando em conta as suas condições sociais além das características da doença, objetivando proporcionar o máximo de conforto possível para se conviver com a fibromialgia e minimizar seus sintomas, já que a cura ainda não é conhecida.

Durante o tratamento deve-se considerar que além dos medicamentos analgésicos e antidepressivos que são geralmente prescritos, deve ser orientada a prática de exercícios aeróbicos por pelo menos duas vezes na semana, com intensidade moderada, de modo a evitar a dor que pode ser ocasionada pelo exercício intenso, a fim de favorecer a adesão e continuidade da prática. A prática regular de atividade física de baixo impacto promove a liberação de endorfinas que produzem a sensação de bem estar, proporcionando assim efeito analgésico e antidepressivo. Alguns exemplos de exercícios que podem ser praticados são caminhada, natação, hidroginástica, etc.

A alimentação também pode auxiliar no tratamento da fibromialgia, sendo recomendado que se dê preferência aos alimentos anti-inflamatórios e antioxidantes, os quais ajudam a evitar dores (Exemplos: alimentos ricos em ômega 3, como salmão e sardinha, e os ricos em ômega 9,como nozes e castanhas). O potássio é um mineral relacionado às contrações e relaxamento muscular, a ingestão desse mineral por meio de alimentos como o melão, abacate e vegetais folhosos ajuda a evitar as dores musculares. Outro mineral importante é o magnésio, pois este está envolvido na contração muscular e atua auxiliando o potássio em sua função; são alimentos fonte de magnésio os vegetais folhosos verdes escuros, os cereais e as leguminosas.

Além da ingestão de nutrientes que podem ser benéficos ao alívio dos sintomas, o controle de peso também é de extrema importância, visto que a obesidade pode aumentar a sensação de dor e diminuir a qualidade de vida dos portadores de fibromialgia, sendo possível afirmar que, consequentemente, a perda de peso até o valor ideal é capaz de melhorar os sintomas de dor, depressão e ansiedade.

Deve-se lembrar de que cada caso é um caso e, portanto não existe um padrão de desenvolvimento da doença e assim nenhum paciente reage igual ao outro, cada um pode apresentar sintomas distintos e lidar de formas diferentes frente a eles. Mas o essencial a 100% dos pacientes que possuem fibromialgia é que busquem o tratamento e o sigam adequadamente a fim de que possa ser observado o máximo de bem estar possível durante a convivência com a doença.

Coluna Nutrição e Alimentação
Coluna articulada por Franciele Santana

Leia também:

* Esse texto é um artigo de opinião do colunista e pode não representar a posição do portal Mais Minas sobre o assunto.