O que você procura?


Fábrica de metais sanitários se instalará em Minas Gerais, gerando 4.500 empregos

A Docol, uma das maiores fabricantes brasileiras de metais sanitários, anunciou um investimento de R$ 300 milhões em uma nova fábrica na cidade de Poços de Caldas, voltada para louças sanitárias.

Agência Minas 5 de setembro de 2021 às 21:20
Tempo de leitura
5 min
Foto: Docol/Divulgação via Agência Minas
Foto: Docol/Divulgação via Agência Minas

Faltando pouco mais de um ano para as comemorações de 150 anos de Poços de Caldas, no sul de Minas, o município ganhou um presente que trará impacto positivo para toda a população. A Docol, uma das maiores fabricantes brasileiras de metais sanitários, anunciou um investimento de R$ 300 milhões em uma nova fábrica na cidade, voltada para louças sanitárias, com previsão de gerar até 500 empregos diretos e outros 4 mil indiretos. 

A Docol informou que a fase de planejamento da nova fábrica foi finalizada e já nas próximas semanas pretende dar início à aquisição de máquinas e equipamentos, bem como a construção dos prédios que vão abrigar as instalações. A previsão de início das atividades é entre 2023 e 2024. 

A primeira fábrica mineira da empresa vai produzir aproximadamente 10 linhas de produtos de louças sanitárias, entre eles: bacias, bidês, caixas de descarga, cubas, lavatórios, mictórios e tanques. Atualmente, a empresa possui fábricas em Joinvile (SC) e São Paulo (SP). 

Com atuação em todos os estados do Brasil, a companhia – que já é líder na América Latina em exportações de metais sanitários -, mantém negócios em mais de 30 países. De acordo com o presidente da empresa, Guilherme Bertani, a fábrica mineira contribuirá para a estratégia de crescimento do grupo tanto no mercado interno quanto externo.

LEIA TAMBÉM:  Gás de cozinha e gasolina ficam, de novo, mais caros no Brasil

“A nova unidade em Poços de Caldas irá contribuir para o aumento dos negócios no Brasil, especialmente na região, e responderá por uma fatia significativa do faturamento da empresa”, afirmou. 

Além da localização geográfica – próxima dos principais mercados consumidores -, mão de obra qualificada e disponibilidade de matérias-primas, o presidente da empresa ressaltou que o ambiente de negócios encontrado no estado também favoreceu a tomada de decisão pelo investimento.

“O ambiente é muito positivo. Há um interesse legítimo do Governo do Estado, das prefeituras, da câmara legislativa e de vereadores em estimular o setor produtivo, desenvolvendo Minas economicamente, gerando novas oportunidades”, observou.

A presença da Docol no Sul de Minas vai fortalecer o polo de louças sanitárias da região, que ainda inclui a Lorenzetti, também em Poços, além da Icasa e da Kohler, em Andradas. “Com o investimento, a Docol estará posicionada entre os principais fabricantes de louças sanitárias do Brasil. Hoje, Minas já representa perto de 10% dos nossos negócios”, concluiu Bertani.

LEIA TAMBÉM:  Como está a produção industrial atualmente no Brasil

A escolha por Minas Gerais

Poços de Caldas é uma das maiores economias do Sul de Minas. Com grande força tanto no setor industrial quanto no comercio, o principal destaque é o setor de turismo, que faz da cidade um centro econômico diversificado.

O gerente de Negócios do INDI, Renato Garcia, contou que as tratativas com a empresa duraram aproximadamente seis meses e foram marcadas pela vitória do estado em relação a São Paulo, que também estava no páreo. 

Conforme Garcia, dois fatores foram determinantes para agilizar o processo de definição do investimento em Minas: o primeiro foi a presença de gasodutos no município e o segundo foi a forte atuação da concessionária local de energia elétrica (DME Poços de Caldas).  

“Estávamos disputando com outros estados, sobretudo com São Paulo. Graças a esse conjunto de fatores, que ainda incluiu a apresentação de um tratamento tributário adequado e competitivo, conseguimos atrair a empresa. Este é um grande marco para o município”, afirmou.  

O gerente de Negócios do INDI, reforçou que a presença da Docol vai fortalecer a região como um dos mais importantes polos de louças sanitárias do país. “A companhia vem fortalecer ainda mais a cadeia regional nesse segmento que já conta com alguns dos principais nomes do mercado”, comemorou. 

LEIA TAMBÉM:  Conta de luz fica mais cara com a criação da bandeira tarifária 'escassez hídrica'

Parceria em prol do desenvolvimento

Outra notícia que fortalece ainda mais a economia regional é que a Agência de Promoção de Investimento e Comércio Exterior de Minas Gerais (INDI) firmou um acordo de cooperação com a Agência de Desenvolvimento de Poços de Caldas (ADPC). A parceria tem o propósito de fortalecer os elos entre os setores público e privado, viabilizando a atração de mais investimentos para o município. 

Na avaliação do prefeito de Poços de Caldas, Sérgio Azevedo, a junção de forças entre diferentes esferas do poder público – alinhadas à iniciativa privada -, é um caminho certeiro para o desenvolvimento do município. Ele comemorou o acordo de cooperação realizado com a agência local de desenvolvimento econômico.

”A formalização da parceria da Agência de Desenvolvimento de Poços com o INDI nos assegura iniciativas mais assertivas. Nós conhecemos as potencialidades da cidade e iremos focar em projetos que fortaleçam a vinda de investimentos e a geração de emprego e renda. Essa união entre empresários, sociedade civil e poder público, nas diferentes esferas, vai trazer resultados importantes para a população de Poços e região”, afirmou. 

Última atualização em 6 de setembro de 2021 às 02:12