Ultimate magazine theme for WordPress.

Em Ribeirão das Neves, jovem de 14 anos mata pai com 23 facadas

Antes de cometer o crime, o garoto pesquisou na internet "como matar uma pessoa usando uma faca"

Na madrugada de hoje, quarta-feira (12), um adolescente de 14 anos foi apreendido após matar o pai, de 48 anos, com 23 facadas. O crime aconteceu em Ribeirão das Neves, região metropolitana de Belo Horizonte.

De acordo com informações da Polícia Militar (PM), o crime aconteceu no bairro Jardim Colonial após uma briga familiar. Os detalhes da discussão não foram divulgados.

Ao chegarem no local do crime, os militares encontraram a criança do lado de fora da casa com uma vizinha. A vítima estava deitada em um colchão na sala com uma faca ao seu lado. A faca, de acordo com a polícia, estava com a lâmina sem marcas de uso.

O garoto contou aos policiais que ao começar a briga o pai pegou uma faca e então para se defender, ele atingiu o homem com 18 golpes nas costas, três na cabeça e dois no peitoral. Ainda em conversa com a PM, o garoto contou que antes de cometer o crime, ele pesquisou na internet “como matar uma pessoa usando uma faca”.

O celular do garoto e as duas armas foram apreendidas. O corpo do pai foi encaminhado para o IML (Instituto Médico Legal) e a Polícia Civil deve investigar o crime.

Leia também: Suspeito de assaltar garotas de programa é preso em Belo Horizonte

Punição de menor infrator

Quando um menor de 18 anos comete um crime, ele é encaminhado à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente. Os pais são comunicados e dependendo da gravidade do crime o jovem é liberado ou encaminhado a um centro de internação em que pode ficar até 45 dias em internação provisória.

Assim, em até 45 dias, o adolescente é julgado em uma vara da Infância e Juventude. Se comprovada a autoria do ato, o jovem sofre medidas socioeducativas.

Jovens que ficam internados na maioria das vezes são os que cometem atos como homicídio, tráfico de drogas ou que já cometeram outros crimes violentos. A internação dura no máximo três anos. Atos considerados menos graves podem ser convertidos em advertência ou prestação de serviço a comunidade.

Comentários do Facebook