21.5 C
Belo Horizonte
quarta-feira, 30 novembro 2022

O que esperar de Brasil x Suíça pela segunda rodada da Copa do Mundo do Catar

Em caso de vitória, Seleção Brasileira ficaria em ótimas condições de classificação para as oitavas de final

Com direito a viradas históricas, seleções surpreendem na primeira rodada da Copa

Início da Copa do Mundo FIFA 2022 reservou surpresas para os fãs de futebol.

Grandes seleções podem ser eliminadas já na fase de grupos da Copa do Mundo

Primeira rodada da fase grupos da Copa do Mundo do Catar foi repleta de acontecimentos, e não se restringiu apenas a grandes atuações, como as de Brasil e Espanha.

Na “última dança” de Messi, Argentina é favorita na Copa do Mundo do Catar

Aos 35 anos de idade, Messi caminha para, provavelmente, sua última Copa do Mundo, que será a quinta participação do atleta do PSG

Desde 1986 sem conquistar a Copa do Mundo, a Argentina sonha, a cada edição do torneio, em repetir os feitos históricos de Mário Kempes e Diego Maradona. Vice em duas ocasiões após as glórias, os hermanos sempre esbarraram em pequenos detalhes, caos e desorganização, o que não mais são problemas no ambiente da equipe.

Em 2018, até de forma involuntária, o ex-zagueiro e à época auxiliar Lionel Scaloni assumiu o comando e mudou o espectro da equipe, que sempre atravessou trabalhos controversos e mal executados. À frente da Seleção Argentina, Lionel Scaloni conseguiu promover uma renovação importante no plantel, afirmando nomes como o goleiro Emiliano Martínez (Aston Villa-ING), o zagueiro Lisandro Martínez (Manchester United-ING) e o meio-campista Rodrigo De Paul (Atlético de Madrid-ESP).

Esses nomes, aliados a jogadores históricos, conseguiram formar uma base de sustentação organizada e com identidade de jogo, que possibilitou, finalmente, um grande desempenho do craque Lionel Messi (Paris Saint-Germain-FRA) pela Albiceleste.

Os resultados foram evidentes. Desde a chegada de Scaloni, foram 49 partidas disputadas, com 33 vitórias argentinas, 12 empates e apenas quatro derrotas. Aliás, a invencibilidade dos hermanos já dura mais de três anos. O último revés foi em 2019, por 2 a 0 para o Brasil, na semifinal da Copa América.

Lionel Scaloni tem apenas 44 anos
Lionel Scaloni tem apenas 44 anos – Foto: Divulgação/Argentina

Além do alto aproveitamento, a Argentina voltou a erguer troféus. O incômodo jejum de 27 anos foi finalizado em 2020, em outra Copa América disputada no Brasil. O troco por 2019 foi dado com requintes de crueldade, afinal, os argentinos levaram a taça com uma vitória por a 1 a 0, em gol de Di María. A conquista pôs fim à angústia vivida por Messi e sua geração, que haviam batido na trave em diversas oportunidades. De brinde, o país ainda conquistou a Finalíssima, um torneio que pôs em rota de colisão o campeão sul-americano e o campeão europeu – a Itália. A Azzurra, porém, não foi páreo e tomou 3 a 0 de “La Scaloneta”.

+ Geração renovada é esperança de boa campanha dos Estados Unidos no Catar

A última chance de Messi

Aos 35 anos de idade, Messi caminha para, provavelmente, sua última Copa do Mundo, que será a quinta participação do atleta do PSG. Nas outras quatro, o ‘E.T’ fracassou na tentativa de dar novamente aos argentinos o título mundial, sendo muito criticado e taxado de pouco decisivo.

Agora, porém, o atacante do PSG vive sua melhor e mais feliz fase com a camisa azul e branca. A conquista da Copa América aliviou a tensão por títulos, e o momento coletivo do time favorece a qualidade do jogador. Afinal, são os dez outros jogadores dando a vida os 90 minutos por Messi.

Messi vive boa fase no clube e na seleção
Messi vive boa fase no clube e na seleção – Foto: Divulgação/@Argentina

‘La Scaloneta’

Por muitos anos, a defesa foi o calcanhar de aquiles da Argentina, por conta de de goleiros inseguros e defensores de pouco renome. Com Lionel Scaloni, o jogo mudou e a equipe é cada vez mais confiável e difícil de ser furada. O meio-campo com Leandro Paredes (Juventus-ITA) e Rodrigo de Paul (Atlético de Madrid-ESP) oferece equilíbrio e sustentação para o perigoso ataque de Messi (Paris Saint-Germain-FRA), Di María (Juventus-ITA) e Lautaro Martínez (Internazionale-ITA).

A convocação dos 26 jogadores que foram convocados para a Copa do Mundo não teve surpresas, com a lista formada por jogadores quase todos do futebol europeu, em especial das ligas italiana, espanhola e inglesa.

No Grupo C, a Argentina deve nadar de braçada contra México, Arábia Saudita e Polônia. Nas oitavas, o embate deve ser contra Dinamarca ou França, times considerados fortes, que podem complicar a vida para os hermanos. A tendência, no entanto, é que a Argentina chegue, pelo menos, à semifinal.

  • Time base (4-2-3-1): Emiliano Martínez (Aston Villa-ING); Nahuel Molina (Atlético de Madrid-ESP), Christian Romero (Tottenham-ING), Nicolás Otamendi (Benfica-POR) e Marcos Acuna (Sevilla-ESP); Leandro Paredes (Juventus-ITA), Rodrigo de Paul (Atlético de Madrid-ESP); Angel Di María (Juventus-ITA), Lionel Messi (Paris Saint-Germain-FRA) e Papu Gómez (Sevilla-ESP); Lautaro Martínez (Internazionale-ITA).
  • Técnico: Lionel Scaloni
  • Capitão: Lionel Messi
  • Destaque: Lionel Messi
  • Jogos: Arábia Saudita (22/11); México (26/11); Polônia (30/11).
  • Prognóstico: Candidata ao título
  • Melhores participações: 1978 e 1986 (campeã)
  • Ídolos históricos: Mário Kempes, Diego Maradona, Gabriel Batistuta , Lionel Messi e Daniel Passarella
  • Maior goleador: Lionel Messi (90 gols)
  • Jogador que mais vezes atuou: Lionel Messi (164 gols)

Você pode gostar também:

RECENTES

Veja também sobre: