Take a fresh look at your lifestyle.

Se a Abstenção Não é Possível, Abuse da Moderação

É chegado o último mês do ano e com ele surgem as inúmeras confraternizações, por vezes marcadas pelo alto consumo de bebidas alcoólicas, por isso é importante lembrar da importância do consumo consciente a fim de que a ingestão de álcool como forma de sociabilização não resulte em prejuízos para a saúde .

O etanol presente nas bebidas é metabolizado por meio de enzimas produzidas pelo fígado, por isso o consumo excessivo destas bebidas pode causar sobrecarga hepática, sobretudo quando a ingestão alcoólica é associada ao consumo de medicamentos, os quais além de dificultar  o trabalho do fígado ainda têm seu efeito reduzido ou anulado .

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda, a fim de se evitar  problemas relacionados ao álcool , que  o limite máximo de consumo seja  de uma dose por dia  (10 a 15 gramas de etanol) para as mulheres e duas doses por dia  para os homens (de 20 a 30 gramas de etanol). Uma dose equivale a 90 ml de vinho tinto, ou  125 ml de vinho branco ou  350 ml de cerveja  ou  50 ml de destilados. A ingestão de doses diárias acima desse padrão é considerada prejudicial e representa algum risco para a saúde dos indivíduos1, 2. Vale lembrar que esse valor permitido não é cumulativo, ou seja, beber as sete doses da semana durante um dia não está de acordo com as recomendações da OMS e é passível de causar prejuízos para a saúde.

Existem, ainda, algumas situações em que o uso do álcool não é recomendado nem mesmo em pequenas quantidades, como nos casos de mulheres grávidas ou tentando engravidar, pessoas que planejam dirigir, pessoas em uso de medicações, hipertensos e diabéticos (essas condições clínicas podem ser pioradas com o uso do álcool), alcoolistas em recuperação e menores de 18 anos.

Não existe um nível seguro para o consumo de álcool pela população em geral, visto que cada indivíduo possui suas particularidades, assim ninguém está isento dos riscos associados à ingestão alcoólica. Admite-se que conforme a cultura em que estamos inseridos é difícil que se consiga a abstenção completa do álcool, porém em favor de um maior benefício à saúde vale a pena, no mínimo, que não se meça esforços para a aquisição do hábito do consumo moderado. 

Referencias

  • USA – United States of America. Department of Agriculture Food and Nutrition Information Center. Dietary Guidelines for Americans. Report of the Dietary Advisory Committee on the Dietary Guidelines for Americans, 2000.
  • WHO – World Health Organization. International Guide for Monitoring Alcohol Consumption and Related Harm. Geneva, WHO, 2000.

Leia Também:

Close